banner dengue SMI

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Frenesi de lusófonos conectados
  Data/Hora: 9.jun.2013 - 18h 52 - Colunista: Bruno Peron  
 
 
clique para ampliar

Bruno Peron -  O crescimento do uso da Internet no Brasil corrobora a tese de seleção natural do biólogo e viajante Charles Darwin. Enquanto o Plano Nacional de Banda Larga aumenta o número de internautas com acesso de 1 Mbps, a Telefónica e outras empresas lançam planos acima de 100 Mbps de velocidade em fibra óptica. A obsolescência tecnológica e a abertura inconsequente ao mercado conduzem à primazia dos mais fortes, que têm interesses e procedências nem sempre claros aos usuários de Internet independentemente de seus idiomas.

 

Dados da União Internacional de Telecomunicações (UIT) indicam que 83 milhões de usuários de Internet no mundo comunicam-se em português e que este idioma é o quinto mais usado nesta rede de computadores. O inglês é a língua oficial de 565 milhões de internautas; logo está o chinês (mandarim) com 510 milhões; em seguida, é o espanhol com 165 milhões; e, em quarto lugar, 99 milhões de usuários comunicam-se em japonês. (Jamil Chade, Português é 5º língua mais usada na web, O Estado de São Paulo, 14 de maio de 2013.). Os usuários de Internet que se comunicam em inglês e mandarim representam 50% do total de internautas no mundo.

 

83 milhões de internautas significam aproximadamente um terço dos 250 milhões de falantes de português. Enquanto tememos a expansão das indústrias culturais faladas em inglês, o novo Acordo Ortográfico - que pode ser entendido aqui como uma estratégia global de promoção de um conjunto de países que compartilham um idioma - e o fortalecimento da Comunidade de Países de Língua Portuguesa pressionam por uma unidade linguística que ameaça os idiomas árabe, alemão e francês, que são menos influentes que o português na Internet.

 

Estes dados assinalam que o português é o quinto idioma mais usado nos bate-papos, comércio eletrônico, redes sociais, troca de correios eletrônicos, acesso a e buscas em websites. Não só o quinto maior número de todos usuários de Internet comunica-se nesta língua, como o conteúdo da rede virtual também se produz, circula, distribui-se, assimila-se e visualiza-se em português.

 

O Brasil investe pesadamente no acesso à Internet, como através de seu Plano Nacional de Banda Larga. O governo brasileiro quer conectar o maior número de pessoas aos recursos amplos e infindáveis da Internet. A UIT estima que, entre 2000 e 2011, o acesso à Internet cresceu 481,7% em todo o mundo e 2,099 bilhões de pessoas - de uma população mundial que há pouco alcançou 7 bilhões - têm acesso a ela. (Redação Portal Imprensa, Mais de 82,5 milhões de pessoas usam o português para se comunicar na internet, Portal Imprensa, 16 de maio de 2013.)

 

O Brasil integra-se de fora para dentro; com o êxito deste processo, empresas que investem em tecnologia são as mais aptas a competir e sobreviver. Assim se traçou o destino da Rede Globo, que, tanto durante o regime militar (1964-1985) e a "década perdida" dos anos 1980, preparou sua infraestrutura para os desafios vindouros. A Rede Globo fundou-se em abril de 1965, quando há poucos meses se havia instaurado a ditadura; hoje está na vanguarda da televisão digital.

 

Entretanto, argumento que a língua é menos importante que o conteúdo que se comunica pela Internet. Sendo assim, recordo que os domínios da Internet, as linguagens de programação, e as principais redes sociais como o Facebook, surgiram nos Estados Unidos e controlam-se desde escritórios na beira-mar da Califórnia. Justifico assim por que os Estados Unidos têm receio de que os governos de outros países envolvam-se no controle do conteúdo da Internet, embora algumas de suas indústrias se prejudiquem, como pela cópia e uso ilegais de música e filme.

 

O número massivo de usuários da Internet de alguns países não significa que a maioria de seus cidadãos tenha acesso à Internet. Apesar de a população da Alemanha ser de 82 milhões de pessoas, um percentual aproximado de 80% de falantes de alemão têm acesso à Internet. A Alemanha considera-se, assim, um país bastante conectado à Internet, ao contrário de outros países que caminham nesta direção através de políticas de democratização do acesso.

 

Malgrado a notícia frenética de que o português é o quinto idioma mais falado na Internet, a língua é apenas outro meio - assim como a Internet o é - através do qual se divulga uma mensagem. Comemorar o êxito dos meios em vez do conteúdo, portanto, não é a maneira mais eficaz de garantir que os lusófonos estejam bem conectados.



http://www.brunoperon.com.br

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Einstein
Banner Mirante
Banner violência se limite
Banner pedrão 2018
Rose Bueno Acessórios
Bassani
Banner emprego