Banner dengue 2021

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
ADEMAR CORBARI, - um belo exemplo de superação...
  Data/Hora: 8.abr.2014 - 15h 19 - Colunista: João Maria  
 
 
clique para ampliar

Uma figura incrível... Ao fazermos um estudo um pouco mais aprofundado da sua personalidade, não é nenhum exagero dizer que ele se virava nos trinta, usando apenas o raciocínio lógico – com sua fé e determinação, desafiou todas as previsões mais otimistas da ciência e da medicina...

 

- Como assim?

- É difícil explicar – mas o fato é que, mesmo com toda a deficiência física que ele tinha, ele ajudava muito mais do que era ajudado – ou seja, dava muito mais do que recebia... Um exemplo de superação... Quando tinha 10, 12 anos, os médicos diziam que dificilmente chegaria aos 20... Quanto chegou aos 20, diziam que dificilmente chegaria aos 23... E de prognóstico em prognóstico, ele chegou aos 59...

 

Ademar Corbari: 02/02/1955 - 06/04/2014...

 

Na última oportunidade em que estive com ele, a cerca de uns seis meses atrás – ao tentar encorajá-lo a fazer uma cirurgia nos olhos para voltar a ler – ele me dizia com um sorriso lindo – “Deus foi extremamente bondoso comigo – meu “CPF”, já está vencido... já ganhei uns 40 anos a mais do que estava pré-estabelecido – qualquer segundo a mais daqui pra frente, é lucro...”. Ele brincava com a própria vida.

 

Tive a oportunidade de conviver com ele e os seus familiares desde muito jovem... Na adolescência, sem maldade e protegidos pelo manto protetor do Divino Mestre, certa feita, na época em que ele ainda se deslocava engatinhando até com certa rapidez, protagonizamos uma cena que entrou para a história... Era mês de junho, o ano deve ter sido 1962, 63 – período de muito frio, mas naquele dia o sol tinha saído... E o costume da época, era proteger as ramas de mandioca da geada, fazendo uma espécie de pirâmide... E numa dessas pirâmides, avistamos o rabo de algo que para nós era um lagarto, muito comum nas redondezas... E lá fomos com a maior curiosidade procurando não fazer barulho para não espantar o animal e assim arrancá-lo de lá... Moral da história: ficamos com o “guizo de uma cobra cascavel” nas mãos...

 

Isso é fato – realmente aconteceu... E existe uma infinidade de outras histórias envolvendo essa figura – Ademar Corbari – ele tinha um carisma todo próprio... Hoje de manhã, conversando com o empresário Alcides Cavalca, que é da mesma época, e ele me relatava que há poucos dias estava conversando com a sua esposa sobre aquele tempo e fazendo um comparativo com os dias atuais...

 

Dizia-me ele: “Quantas e quantas vezes eu, você, o Gilmar, o Adelar e tantos outros subimos puxando e empurrando o seu carrinho até o Colégio Nossa Senhora de Fátima, onde estudávamos... Ele nunca se limitou, andou de muleta, usou aparelho – sempre se superou – sua alegria era contagiante – jogava bolita... Era uma das pessoas que todos queriam por perto...”

 

Outro ponto importante, relembrado por Alcides hoje de manhã, foi que naquela época, tudo era muito diferente. “Você, por exemplo, negro, nós o chamávamos de Neguinho, almoçava e jantava lá em casa – estudávamos juntos e eu não me lembro de algum dia alguém falar em “bulin”, racismo ou coisa do gênero na escola...”, lembra Alcides.  

 

A verdade é que o nosso amigo Ademar foi pioneiro em diversas situações... Na época em que o Rádio era o principal meio de comunicação, ele, com a ajuda do Mário Pagot e do seu pai, o Danilo Pagot, montou a primeira Rádio clandestina de São Miguel do Iguaçu... Certo dia recebeu a visita da Polícia Federal, que se surpreendeu com a rusticidade do equipamento – uma lata de azeite com uns fios dentro... E a Rádio Clandestina tinha sido denunciada pelos proprietários da Rádio Matelândia, com a alegação de que estava interferindo da freqüência da mesma...

 

Segundo a Delci, sua irmã, em breve algo deverá ser editado para que a sua memória permaneça e sirva de estímulo e reflexão, para muitos de nós, que mesmo tendo um corpo perfeito, muitas vezes somos derrotados pelo pessimismo e pelo desânimo... Um grande garoto... Descanse em Paz Ademar – e tenha certeza, vamos contar e recontar muitas das suas histórias aqui neste espaço...

 

 

Meu querido amigo de infância João da Silva.
Você é um ser humano lindo. MUITO OBRIGADA pelo carinho ao meu amado irmão.
Que Deus te abençoe

 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Einstein
Banner violência se limite
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Banner emprego
Banner pedrão 2018
Bassani