Banner Agenda

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Eficiência: produtividade em alta, custos em baixa.
  Data/Hora: 2.out.2017 - 11h 25 - Colunista: Inácio Dantas  
 
 
clique para ampliar

 “Demorar horas para fazer um trabalho que pode ser feito em minutos é exemplo típico de ineficiência. Isso reflete em alto custo e baixa produção. Remaneje a equipe, dinamize o pessoal, exija maior participação. Eficiência é a palavra!”

 

 Em qualquer processo de trabalho eficiência é tudo. Eficiência, com o uso de insumos adequados e a perfeita combinação da mão de obra resulta na maior produção, em menos tempo, com menor custo.

 

 Ser eficiente é produzir com eficácia, com a perfeita combinação dos fatores de produção. É pôr-se em ação e fazer uma tarefa bem feita, uma única vez, em tempo compatível. É, ainda, não desperdiçar material, estragar peças ou ferramental nem afadigar-se em excesso.

 

 Obter eficiência na cadeia produtiva é agregar lucratividade e expurgar custos, diretos ou indiretos. E a riqueza de uma empresa, ou de uma nação, pode ter seu viés na forma eficiente como são explorados seus recursos – primário, secundário, terciário. Um setor, que atua sob as ordens de um líder que prima pela eficiência, tem seus soldados voltados à luta, seguindo fielmente um plano de ação empresarial que, sem baixas ou desgastes, os conduzirão à vitória.

 

 Para o líder, eficiência é, além de tudo, um apêndice do entusiasmo. O declínio do entusiasmo numa equipe é igual um time que entra em campo para perder de pouco... O entusiasmo é luz que irradia e se propaga por todo o ambiente de trabalho, cintila nos funcionários e cria uma aura alegre e positiva.

 

  Com vistas ao pleno equilíbrio da produção, ou a “produção plena”, em qualquer empresa ele concorre para o bom fluxo dos negócios, o crescimento das vendas, indução aos lucros e, com eles, a segurança do retorno do capital investido.

 

 Imagine um pátio de fábrica com máquinas caríssimas e profissionais de alto salário produzindo em marcha-lenta, aquém do real potencial? Ou, num centro administrativo, computadores sendo usados em atividades estranhas ou particulares?  Ou ainda os veículos da empresa fazendo itinerários de entrega sem uma boa logística, desgastando pneus, desperdiçando combustível e homens-hora? Esses são alguns exemplos típicos de ineficiência.

 

 Por outro lado, um bom exemplo de eficiência encontramos quando há integração e engajamento entre os líderes dos diversos setores da corporação. O líder da contabilidade integrado com o líder comercial; este integrado com o líder do marketing, que por sua vez está integrado com o líder do departamento de relações humanas, que, por fim, está integrado com o líder da contabilidade.

 

 A divisão do trabalho, racional, é um propulsor econômico gerador de riquezas. Logo, a produção eficiente, eliminando-se “gargalos” (repetição de operações), sobras, perdas e desperdícios, pode resultar na produção plena.

 

 

 Prof. Inácio Dantas

 HTTP://gestao-e-lideranca.blogspot.com

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Auditoria da Dívida Publica
Banner esporte é vida
comercial advogado
Grandinox
Bassani
Pesqueiro das Irmãs
Transmorgan
Cerâmica Zanoni
Alquimia
Banner pedrão