Banner Agenda

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
UNILA desenvolve sistema de mapeamento que permite visualizar a atuação da Universidade na Fronteira Trinacional
  Data/Hora: 30.out.2017 - 11h 0 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

Da Assessoria - Servidores da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) desenvolveram o Mapeamento Social da Região de Fronteira Trinacional: Brasil, Argentina e Paraguai. Rafael Palmeira e Rogério Moreira, servidores técnico-administrativos ligados à Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), realizaram um levantamento dos principais grupos, coletivos, movimentos sociais, organizações não-governamentais e outros atores sociais que atuam na região. Os dados coletados estão disponíveis para toda a comunidade na plataforma digital Umapas - unila.edu.br/umapas.

 

A iniciativa tem o objetivo de incentivar os projetos desenvolvidos pela UNILA a atuarem de forma conjunta, com agentes comunitários que já trabalham nos diferentes espaços da cidade. Rafael Palmeira conta que o levantamento iniciou em bancos de dados consolidados na região, mas também por meio da indicação dos próprios atores com os quais iniciou contatos. “Um acaba indicando outro, e assim a gente vai alimentando o sistema”, disse.

 

Após abordagem inicial e entrevistas, os dados são inseridos na plataforma por Rogério, responsável pela questão estrutural e por identificar qual seria o modelo ideal para realizar esse tipo de ação. “Estudamos quais ferramentas seriam mais interessantes e, a partir do momento em que escolhemos uma, passamos a entender as suas particularidades e como desenvolver o projeto, sempre atentos à opção de um software de código aberto para não ter problemas com licenças, e também usar um servidor interno, para que não ficássemos reféns de possíveis perdas de dados”, explica.

 

Extensão e territorialidade

 

Agora, Rogério e Rafael estão concluindo um novo desafio: cadastrar os projetos de extensão realizados pela UNILA em 2016. Dessa forma, todos podem ter acesso à identificação, no mapa, de onde a Universidade está atuando na região e com quais atores sociais está se relacionando. Tudo isso em caráter experimental, como fazem questão de frisar. Mas o resultado já tem chamado a atenção de outras áreas, a exemplo da Graduação e da Pesquisa. Com base nessa primeira experiência, a Reitoria propôs a criação de um grupo de trabalho e a institucionalização do projeto, a fim de que seja possível desenvolver novas estratégias com as partes interessadas.

 

Rogério reforça que o projeto inicial era estratégico para a PROEX, porque a ideia era fortalecer a presença da UNILA com os projetos de extensão que são desenvolvidos na cidade, provocar a articulação com os atores, fazer com que um conheça o outro e dialogue com a Universidade. “A partir daí começamos a vislumbrar outras possibilidades. Chegamos ao nosso limite de capacidade de desenvolvimento. Agora podemos, com outros setores, promover a institucionalização do projeto e mapear, por exemplo, onde estão os projetos de pesquisa desenvolvidos pela Universidade. Agora a gente pode, e precisa, construir uma versão mais robusta”, conclui.

 

 

Imagem - Os dados coletados estão disponíveis para toda a comunidade na plataforma digital Umapas 

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Laticinios
comercial advogado
Transmorgan
Pesqueiro das Irmãs
Auditoria da Dívida Publica
Banner esporte é vida
Cerâmica Zanoni
Banner Abraços
Otica PetriU
Rose Bueno Acessórios