Isso é justiça

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
O MINISTRO DA JUSTIÇA DEVASTOU A PM, DESMASCAROU PEZÃO E A SEGURANÇA DO RIO
  Data/Hora: 6.nov.2017 - 8h 33 - Categoria: Brasil  
 
 
clique para ampliar

Fonte: Helio Fernandes - Tribuna da Imprensa - foto: O Estadão - Se tudo o que ele disse e repetido intensamente por rádios, jornais e televisões, for verdade, tem que ser imediatamente incluído nas pesquisas presidenciais. Fora e antes dessa entrevista, é uma renovação verdadeira, com um currículo sedutor, a justificar toda e qualquer esperança. E a consolidar a ânsia de recuperação.

 

 

Ele preenche todos os requisitos morais e intelectuais. Professor de Direito constitucional. Com mestrado e pós-graduação na França e EUA. Atuante, vários anos Ministro do TSE. Jamais teve  um julgado seu contestado, mesmo nas questões mais polemicas.

 

Em relação ao caráter, não existe a menor restrição, qualquer acusação ou duvida sobre sua atividade. Em quase 40 anos, uma parte desse tempo, vivendo e convivendo num país inteiramente dominado pela mais criminosa e escandalosa corrupção. Como a entrevista verdade do Ministro provocou um furacão encomendado contra ele, examinemos com total isenção, as acusações sobre  a PM e o governador Pezão, e os que saltaram na arena, em defesa do crime organizado.

 

 

Primeira ofensiva contra o Ministro da Justiça: ele não apresentou provas, falou por  falar. Ora, as provas estão a céu  aberto, na Rocinha, na PM, na Secretaria de Segurança do Pezão, ocupada por um falastrão que não faz nada. Faltam provas. O ministro não escondeu nada, revelou nomes e sobrenomes. Por que não desmentiram?

 

 

A maior revolta: ele criticou o fato de apesar de dezenas e dezenas de coronéis da ativa, só conseguiram preencher o cargo de comandante Geral, com um coronel aposentado. O ministro acentuou a ligação da PM com o crime organizado. Ora, isso é tão evidente e notório que eu devia cobrar royalties.

 

 

Quando o centésimo PM foi morto, comentei: desses 100, 72 estavam de folga, foram mortos quando almoçavam ou jantavam no restaurante predileto. Perguntei ingenuamente: como os traficantes sabiam? Aliás, deviam deixar de chamar esses bandidos de traficantes, a receita com drogas vem hoje em quinto lugar. 

 

 

Faturam, comprovadamente 15 milhões por semana, 60 milhões por mês, nada mal. 1-Gato de energia. 2- Gato de TV. 3- Controle da distribuição de gás. 4- Participação em todos os negócios das favelas. 5- Venda de drogas. O ministro coloca de forma ingênua, sem afirmar mas deixando a resposta em aberto: existe uma autorização informal para que as coisas funcionem assim? A resposta é obvia: o desgoverno oficial estimula, favorece e protege o "crime organizado".

 

 

PS- Não conheço o Ministro Torquato Jardim, se cruzar com ele não saberei quem é. Mas continuarei a escrever sobre o assunto, já fazia isso nos tempos da Tribuna impressa.

 

 

PS2- Mas acho que não terei muito tempo. Enquanto escrevo, ele já pode estar sendo demitido. Um ministro que até afirma e informa, "os comandantes dos batalhões da PM, são sócios do crime organizado", não pode durar muito tempo.

 

 

PS3- Mesmo estando em turismo oficial, o presidente da Câmara mandou nota oficial criticando o ministro.

 

 

PS4- È a política mostrando a cara, e defendendo seu território. Rodrigo Maia é do Rio. 

 

 

PS5- O chefão Picciani não podia ficar em silencio, seu feudo é no Rio. Só  que em vez de favelas, ele comanda fazendas e a Alerj. Mas é sempre bom defender criminosos correlatos.

 

 

PS6- Falta ainda muita coisa, principalmente o capítulo apropriadamente chamado  de criminoso, ou as EXECUÇÕES. Por enquanto, mergulhado em mistério e sem informação nominal.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
comercial advogado
Cerâmica Zanoni
Banner esporte é vida
Otica PetriU
Banner Abraços
Banner pedrão
Transmorgan
Grandinox
Rose Bueno Acessórios
Laticinios