Prefeito é suspeito de comprar terras

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Educadores deflagram estado de greve
  Data/Hora: 26.nov.2017 - 19h 56 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

Decisão foi aprovada na Assembleia Estadual da categoria

 

Da assessoria - O ano letivo de 2018 pode não ter início caso o governador Beto Richa (PSDB) decida manter as medidas anunciadas que cortam direitos e trazem prejuízos para o processo educativo nas escolas. Em Assembleia Estadual, sábado (25), em Curitiba, a categoria decidiu deflagrar o estado de greve, instituir a assembleia permanente e participar da paralisação nacional contra a reforma da Previdência.

 

Os educadores concluíram ser necessário organizar a categoria e construir um forte movimento de greve nas escolas. O objetivo é evitar os ataques do governo que pretendem reduzir salários de professores contratados em regime especial, os “PSS”. A gestão de Beto Richa também quer manter a distribuição de aulas de 2017, medida que provocou a desorganização escolar e transtornos para os docentes.

 

 

“Foi uma assembleia de muita unidade. Definimos pelo estado de greve, assembleia permanente e construção da greve em todo Estado”, expõe a presidenta da APP-Sindicato/Foz, Cátia Castro. “Se o governo não recuar com as medidas que está implementado para penalizar a categoria, algumas muito cruéis com os trabalhadores, os educadores poderão não iniciar o ano letivo de 2018”, enfatiza.

 

A Assembleia Estadual definiu, ainda, que a categoria participará da paralisação nacional para barrar o andamento da reforma da Previdência, mobilização convocada pelas centrais sindicais nacionais. O movimento em defesa do direito à aposentadoria será dia 05 de dezembro, envolvendo protestos, paralisações de vários setores profissionais e protestos em todo o país.

 

Lei da Mordaça

Entre as deliberações do encontro estadual dos educadores, está a mobilização contra a chamada “Lei da Mordaça”, projeto considerado ilegal e antidemocrático que está sendo discutido em várias cidades brasileiras, por meio do programa “Escola sem Partido”. Os profissionais da educação avaliam que a proposta fere a liberdade de expressão e cerceia o debate de ideias, elementos fundamentais para o processo ensino-aprendizagem.

 

Diálogo

Professores e agentes educacionais ainda decidiram potencializar a entrega do documento elaborado pelo sindicado intitulado “Pauta pela legalidade – Contra o retrocesso na educação pública do Paraná”. O dossiê, que mostra as infrações cometidas pelo governo para retirar conquistas legais dos servidores, será debatido entre a comunidade e distribuído em instituições, prefeituras, câmaras de vereadores e entre a imprensa.

 

APP-Sindicato – Núcleo Sindical de Foz do Iguaçu

(45) 3027-1893 | fozdoiguacu@app.com.br

(45) 99829-3328 - Cátia Castro (Presidente)

(45) 99918-2497 - Diego Valdez (Secretário de Organização)

www.appfoz.com.br

 

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Bassani
Banner esporte é vida
Banner pedrão
Otica PetriU
Auditoria da Dívida Publica
Transmorgan
Grandinox
comercial advogado
Cerâmica Zanoni
Rose Bueno Acessórios