Prefeito é suspeito de comprar terras

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Parque das Aves realiza exposição sobre a febre amarela chamada “A culpa não é do macaco”
  Data/Hora: 2.fev.2018 - 15h 50 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

O Departamento de Educação Ambiental do Parque das Aves está promovendo, entre os dias 1 e 3 de fevereiro, uma exposição sobre a febre amarela chamada “A culpa não é do macaco". O evento está acontecendo quase ao final da trilha do Parque, das 9h às 16h30, e tem como objetivo esclarecer as dúvidas que os visitantes têm sobre a febre amarela, além de alertá-los sobre a importância de multiplicar com toda a população a informação de que o macaco não transmite a doença.

 

Da Assessoria - Durante os dias do evento, os visitantes que passam pelo Parque das Aves tem a oportunidade de acompanhar diversas atividades que o Departamento de Educação Ambiental do atrativo está organizando, além de participarem de interações. A exposição conta com quatro momentos, chamados de estações. A primeira estação traz máscaras e desenhos de macacos, servindo como instrumento para que os educadores possam apresentar e discutir o problema com as crianças. Já a segunda e a terceira estação são compostas por dois painéis explicando o que é a febre amarela, onde se manifesta e qual a conexão do macaco com esse ciclo, além de abordar a degradação ambiental e como os impactos no bioma podem desencadear doenças como essa. A quarta e última estação é a Árvore do Compromisso, onde os visitantes deixam uma mensagem comentando como podem ajudar a evitar que o macaco seja tido como transmissor da febre amarela.

 

Campanha do Parque das Aves

 

“Apesar de o Paraná não ter casos de febre amarela, achamos importante discutir o assunto porque o Parque recebe muitos visitantes que moram em áreas de risco. Nesse sentido, podemos atender a demanda dessas pessoas, além de conscientizar a população local e demais  visitantes sobre a transmissão do vírus”, explica Camila Martins, coordenadora do Departamento de Educação Ambiental.

 

Criança na primeira estação do Evento

 

E como muitos locais de risco estão inseridos na Mata Atlântica, e o foco do Parque das Aves é trabalhar a conservação desse bioma, discutir esse problema se torna muito mais importante. “O que está acontecendo gera um grande impacto para o nosso país, especialmente para a biodiversidade da Mata Atlântica. Então queremos mostrar a complexidade desse problema dialogando com as pessoas, para que elas compreendam de uma forma crítica e aprofundada o que está acontecendo em relação à febre amarela”, finaliza Camila.

 

Equipe de Educação Ambiental

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Auditoria da Dívida Publica
Rose Bueno Acessórios
Banner pedrão
Banner Marlene
Banner Carl Hart
Cerâmica Zanoni
Bassani
banner vende apartamento II
Transmorgan
Banner Juvenal