Vende-se apartamento no centro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
O dia em que a Plutocracia decretou o fim da DEMOCRACIA e o início de uma Ditadura Judicial...
  Data/Hora: 9.abr.2018 - 8h 45 - Colunista: João Maria  
 
 
clique para ampliar

Como admitir que em pleno século XXI, onde deveríamos estar desfrutando de um período de prosperidade e paz – fomos deixar que as forças do mal, escondidas atrás de “togas”, distintivos oficiais, fuzis e metralhadoras, jatos e helicópteros retirassem dos braços do povo, um retirante nordestino com 74 anos de idade e que já fez por esse país, em especial pelos pretos e pobres, muito mais do que se quer poderíamos imaginar?

 

Foto: internet - cartacapital.com - Confesso que momentaneamente, pela primeira vez na vida me senti impotente, enojado, humilhado, vilipendiado como um dos piores farrapos humanos que possa existir sobre a face da Terra – para logo em seguida voltar a sentir uma espécie de vibração interior com dinamismo e vigor – como se estivesse ouvindo o sussurro da alma pedindo calma me dizendo: tudo não passa do plantio de uma semente que deverá crescer e prosperar infinitamente.

 

Confesso que tenho o maior respeito à Justiça, às Leis e aos princípios constitucionais que regulam a vida em sociedade, sem os quais, tudo não passaria de selvageria e brutalidades – mas em sã consciência, não dá para concordar com essa seletividade que fizeram com rapidez e sagacidade, apenas para sacramentar o golpe de 2016 e retirar da vida pública alguém que ama e tem dado o melhor de si pelos que mais precisam – pretos e pobres...

 

Que esse tribunal de inquisição que contou com o aval do Supremo, não se esqueça de que: “a vida tudo registra e conserva, para mais tarde reagir”. Não se esqueçam de que, ocupando o cargo que ocupam – muito mais do que qualquer cidadão comum, vocês deveriam tomar o maior cuidado com a semente que estão plantando. Quem semeia vento, inevitavelmente irá colher tempestade.

 

Por mais alto que seja o posto de uma autoridade, ela só se manterá de pé enquanto estiver fazendo da sua função, uma missão. Seus atos e ações devem convergir para a educação, integração, progresso e desenvolvimento, jamais deveriam ser usados para rasgar a Constituição e sem provas, apenas por convicção, manter pela força uma liderança cuja postura e confiança estão enraizadas no seio social.

 

Acreditem, é apenas uma questão de tempo – vocês vão pagar caro por isso e as suas biografias em breve, estarão no lixo da história deste país. Não haverá “rede globo” e nem mesmo, “rede bobo”, com seus “faustões” e âncoras “jumentões” que ganham milhões para falar o que manda os seus patrões, que os salvará de passar por essa mesma humilhação de ter que dormir nessa “cela” de 15 m2, onde se encontra encarcerado o maior líder desta Nação.

 

Não esqueçam meus nobres “togados” que a riqueza proveniente dos seus salários colossais, deve estar a serviço não só da nobreza, mas sim, com muito mais ênfase para proteção social, servindo de ponte, servindo de ligação para que com justiça social, a pobreza através da evolução cultural, também possa prosperar e se juntar aos demais com dignidade.

 

Ai dos que usam e abusa do seu próprio “poder” para segregar e obter pela força vantagens em favor da sua luta de classe esquecendo os demais, como foi com o golpe de 64; como foi e está sendo com o golpe de 2016, onde uma presidenta eleita foi retirada do poder sem que nada fosse provado contra ela - apenas pedaladas fiscais por investir no social; e agora com a prisão de quem lidera todas as pesquisas de opiniões pública, a concretização do golpe em cima do golpe, retirando da vida pública alguém com força, capacidade e vitalidade para implantar um Projeto de Nação.

 

E o que disse o juiz responsável por essa decretação a um canal de televisão chinês, nesse dia histórico: “não mandei prender o Lula, cumpro ordens”. “Ele foi tratado como um cidadão condenado”. “Eu recebi ordem de mandar prendê-lo. Não tinha opção ou deixar de cumprir a ordem”.

 

Só faltou acrescentar: “Se eu não faço isso seria esculachado ao vivo e a cores por um canal de televisão que manda mais do que todas as demais autoridades desta Nação”.

 

 

João Maria Teixeira da Silva.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner pedrão
Bassani
Rose Bueno Acessórios
banner vende capeletti
Banner Marlene
Otica PetriU
Cerâmica Zanoni
Banner Juvenal
Alquimia
banner vende apartamento II