Vende-se apartamento no centro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Conselho Municipal de Turismo quer saber: por que usar apenas três funcionários na Reforma do Balneário onde se tem mais de R$ 2.000.000,00 a disposição liberado pela Itaipu?
  Data/Hora: 27.jul.2018 - 16h 41 - Categoria: São Miguel do Iguaçu  
 
 
clique para ampliar

Na última sexta-feira (20), realizou-se na comunidade de Ipiranga, importante reunião que contou com diversos Conselheiros Municipais da área de Turismo. Vale salientar que este Conselho recentemente foi destituído por decreto pelo Executivo Municipal.

 

Entre os presentes, o presidente do COMTUR, Representando os Empreendimentos Turísticos, Daniel Marques de Oliveira; Volmes Roberto Tschinkel, representando os órgãos de Segurança; Heitor Enebello, representando a ACISMI, entre outros.

 

O presidente Daniel, lembrou aos presentes à importância da participação dos Conselheiros Municipais para acompanhar, opinar e ajudar a dinamizar o setor.  “O Conselheiro Municipal é o legítimo representante da comunidade. Quanto mais presente ele se fizer em reuniões como estas para debater, discutir e sugerir estarão cumprindo com as suas funções e ajudando a fiscalizar”, lembrou.

 

Na sequência, Volmes Roberto Tchinkel, reforçou e cobrou mais participação e interesse pelos destinos da comunidade que tem ao lado a mais importante atração turística do município. “Esse é papel do Conselheiro, exercer o controle externo, ajudar a fiscalizar a boa aplicação dos recursos públicos destinada ao setor”, ressaltando que o Conselho só terá a força se houver efetiva participação da comunidade. “Uma das maneiras que a comunidade tem também para ser ouvida é se escrever para usar a Tribuna da Câmara e denunciar tudo isto que está acontecendo”, lembrou.

 

 

Entre os presentes, dona Olinda Minosso, proprietária de diversos Chalés junto ao Balneário, disse que já está cansada e não tem mais como sobreviver diante da situação em que se encontra. “No ano passado, tive um prejuízo de R$ 32.000,00 com o cancelamento na última hora da temporada. Implorei para a Prefeitura para que só fechassem o Terminal a partir de março ou abril, uma vez que as obras só iriam começar depois, mas não teve jeito. Quem vai pagar esse meu prejuízo?”, se pergunta.

 

Um dos presentes trouxe a baila uma importante reflexão: “Como pode uma obra como essa com mais de dois milhões já liberados pela Itaipu e com apenas três funcionários trabalhando lá?”, se pergunta.

 

O Conselheiro Hector Enebelo, representante da ACISMI, sugeriu ao que se faça a sinalização com olho de gato em toda a extensão da Rodovia que liga São Miguel do Balneário. “A Rodovia está muito mal sinalizada e dirigir a noite, principalmente nos dias de chuva é uma temeridade”, lembrou, sugerindo inclusive que no mesmo ofício fosse solicitado um Ponto de ônibus em frente ao empreendimento da dona Olinda.

 

Outro ponto abordado na reunião por um dos Conselheiros foi à necessidade de se dar mais atenção ao Turismo Rural. “Tenho um Projeto nessa área faz anos – mas infelizmente não consigo sensibilizar e encontrar apoio para a sua realização”, lamenta.

 

Até o fechamento desta edição, um dos conselheiros nos deu o tom do que pretendem falar na Tribuna da Câmara: 

 

Quero saber da nossa bancada de vereadores, quais de vocês estão acompanhando as obras do terminal turístico de Ipiranga?

 

Sabem como andam as obras? Teremos temporada de verão esse ano? Queima de fogos na virada de ano? A comunidade clama por essas perguntas.

 

Pois todos nós sabemos que a Itaipu Binacional disponibilizou uma verba de aproximadamente 2 milhões para reforma total da prainha, isso no fim de 2017, ou seja, com esse valor e boa vontade a “prainha” já deveria estar com as obras bem adiantadas. Porém não é isso que vemos in loco, só quem vive naquela comunidade há mais de 30 anos, sabe o que passamos pela falta de comprometimento do poder público com o nosso maior patrimônio turístico da cidade, cada morador da comunidade sabe que todo ano se cria expectativas em torno da prainha, pois todo ano todos os comerciantes investem em seus comércios, com esperança de ver a prainha nos seus melhores dias.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Marlene
banner vende capeletti
Otica PetriU
Banner pedrão
Rose Bueno Acessórios
Auditoria da Dívida Publica
banner vende apartamento II
Alquimia
Cerâmica Zanoni
Transmorgan