Banner março Itaipulândia

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Preço do feijão impulsiona alta na cesta básica de Foz do Iguaçu, em fevereiro
  Data/Hora: 22.fev.2019 - 13h 22 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Da Assessoria - O alimento que está diariamente no prato do brasileiro, o feijão, foi o principal responsável pelo aumento de 1,23% no valor da cesta básica em Foz do Iguaçu. No mês de fevereiro, o preço do feijão-carioca subiu 42,4% e o do feijão-preto, 33,9%. Os dados estão no último boletim do Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Foz), divulgado pelo Centro de Pesquisas Econômicas e Aplicadas (Cepecon), da UNILA.

 
 
De acordo com o coordenador da pesquisa, Henrique Kawamura, vários fatores causaram o aumento no preço da leguminosa, como a redução da produtividade e questões climáticas. “A rentabilidade do feijão no ano passado foi baixa, e alguns produtores migraram para outras culturas. Dessa forma, houve redução da produção em cerca de 21%. Além disso, o clima quente prejudicou o desenvolvimento do feijão, impactando diretamente nos preços”, explica. Segundo Kawamura, cereais e leguminosas são itens de grande peso no orçamento familiar, e qualquer aumento gera um impacto significativo no índice geral.
 
 
O levantamento também apontou um aumento no preço da maioria das frutas consumidas pelos brasileiros. O preço da maçã aumentou 18,7%; o do mamão, 15,8%; e o preço da banana-caturra, 6,1%. A exceção é a banana-maçã, que está 11,6% mais barata. Entre as hortaliças e verduras, o maior aumento foi registrado no preço do repolho (36,2%), seguido pelo cheiro-verde (8,3%) e pela alface (2,1%). Entre os tubérculos, o preço da batata está 11,2% mais caro e o da cenoura aumentou 15,4%. O tomate continua em queda, apresentando redução de 0,52%, em fevereiro.


Outro produto que encareceu no mês de fevereiro foram os ovos, cujo preço aumentou 36,4%. De acordo com o Cepea, o aumento se deve à menor oferta da proteína e ao aumento da demanda por parte dos consumidores. Entretanto, o frango reduziu 5,8% e o frango em pedaços diminuiu cerca de 6,5%. Já as carnes, em média, reduziram 0,58%, com destaque para a costela (-9,7%), coxão mole (-7,5%), peito bovino (-4,4%) e carne de porco (-1,3%). Em contrapartida, o acém aumentou 12%; o músculo, 6,2%; e a alcatra, 6%.


Com grande peso no orçamento familiar, o preço do leite e derivados reduziu 4,4% no período. Está mais barato comprar iogurte (-11,2%), queijo (-8,6%) e leite UHT (-2%). A pesquisa completa está disponível em http://www.cepecon.com/.
 
 
Foto - No mês de fevereiro, o preço do feijão-carioca subiu 42,4% e o do feijão-preto, 33,9%
 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner a dieta perfeita
Banner Teori
Banner o fascismo
Banner Psicologia
Banner pedrão 2018
Banner as cidades tem alma
Banner Teia da operação
Bassani
Banner Bolsonaro
banner vende apartamento II