Vende-se apartamento no centro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Diretor-geral brasileiro da Itaipu reafirma compromisso com a região
  Data/Hora: 3.abr.2019 - 14h 16 - Categoria: Itaipu Binacional  
 
 
clique para ampliar

Joaquim Silva e Luna diz que medidas de austeridade vão “melhorar a qualidade e o emprego dos recursos da Itaipu”.

 

Da Assessoria - foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional. - A política de austeridade adotada na Itaipu Binacional, com a posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral brasileiro, em 26 de fevereiro, não afetará o bom relacionamento com os municípios de toda a área da missão ampliada da usina. Desde 2017, a atuação socioambiental de Itaipu passou a abranger os 52 municípios do Oeste, mais Altônia, no Noroeste, e Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul.

 

Para garantir o adequado emprego do dinheiro público, segundo os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, o general Joaquim Silva e Luna já determinou a criação de uma estrutura na Diretoria Geral Brasileira para centralizar as informações e articular as ações intersetoriais. Além disso, mandou proceder a revisão de todos os convênios, parcerias, projetos e patrocínios. Essa nova forma de gerir a usina, segundo o general, não exclui um olhar de atenção para toda a região.

 

“Ao contrário, a ideia é que, a partir dessa reavaliação e do combate ao desperdício, seja possível melhorar a qualidade do emprego dos recursos de Itaipu”, diz Silva e Luna. Ele afirma que a Itaipu estará de portas abertas para receber os gestores municipais, para ouvir suas contribuições e tentar encontrar soluções, mas sempre com a preocupação de utilizar o capital financeiro de forma mais eficiente e garantir que um maior número de pessoas seja comprovadamente beneficiado com as parcerias.

 

Ao reafirmar esse compromisso com a região, o general Joaquim Silva e Luna reconhece que a missão ampliada de Itaipu permitiu um maior alcance da atuação socioambiental e do número de convênios de Itaipu com municípios em ações de recuperação de passivos em microbacias hidrográficas e na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que fazem parte da Agenda 2030.

 

Desde que assumiu o cargo, o diretor-geral brasileiro de Itaipu também determinou que todos os pedidos feitos por entidades externas sejam analisados sob a ótica de sua aderência à missão da Itaipu, à oportunidade, à disponibilidade e imprescindibilidade da despesa/investimento. “Com mais rigor nos gastos, vamos ter condições de investir em projetos mais consistentes na região”, garante.

 

Royalties

O general Joaquim Silva e Luna lembra que, para os 16 municípios lindeiros ao reservatório (15 no Paraná e um no Mato Grosso do Sul), os recursos serão ampliados automaticamente, por meio da Lei 13.661/2018, que alterou os porcentuais de distribuição dos royalties: agora, do total repassado ao Tesouro Nacional por Itaipu, 65% serão destinados aos municípios (antes eram 45%), 25% aos estados (eram 45%) e 10% para órgãos federais (Ministério do Meio Ambiente, Ministério de Minas e Energia e Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

 

Os lindeiros recebem 85% dos 65% destinados aos municípios que têm direito. Eles são mais beneficiados porque foram mais diretamente atingidos pela formação do reservatório da usina. Os 15% restantes da fatia de 85% são distribuídos entre municípios indiretamente atingidos por reservatórios a montante (rio acima). Para os estados, também se aplicam os porcentuais de 85% e 15% para os diretamente e indiretamente afetados, respectivamente.

 

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner conar
Banner Teia da operação
Banner Psicologia
Banner Mães Fortes
Banner militares
Banner as cidades tem alma
Banner pedrão 2018
Banner Jorge amado
Banner Bertold Brecher
Banner o fascismo