Vende-se apartamento no centro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Secretaria de Educação reage e responde com números, dados e documentos ao comentário feito na tribuna da Câmara sobre uma possível queima de livros...
  Data/Hora: 9.jul.2019 - 11h 21 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever – inclusive a sua própria história

 

A Câmara Municipal de São Miguel do Iguaçu viveu na tarde de ontem, o que poderíamos chamar de – um dia de glória. Além da entrega do Título de Cidadão Honorário ao Dr. Reinaldo Alceu Gasparelo, momentos antes (durante a sessão) o bom público presente se deparou com a presença da Professora Leonice Solange Lenz Marques, que faz parte da equipe de Pedagogia da Secretaria Municipal de Educação, fazendo uso da tribuna livre da Câmara...

 

Segundo o Professor Ari, diante da gravidade da denúncia feita pelo Vereador Wando na última sessão, sobre uma possível queima de cerca de 60% do acervo da Biblioteca Municipal, para que os mesmos pudessem caber dentro da Biblioteca Cidadã que fica ao lado, a Direção da Câmara teve que tomar uma atitude. “Convocamos o setor responsável para que nos dessem a devida explicação a respeito de um fato tão grave como esse exposto pelo vereador”.

 

Lembrou Leonice, que quando a Secretaria Municipal de Educação recebeu a Biblioteca que até então estava sobre os cuidados da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer, ela foi designada para reorganizar os espaços e a tramitação legal – “de forma correta e coerente o fizemos”, salienta.

 

“Quando, recebemos a Jurisdição das Bibliotecas (Biblioteca Municipal Pedro Viriato Parigot de Souza e Biblioteca Cidadã) conforme Decreto 319/2018, iniciamos o planejamento pela Secretaria Municipal de Educação para reestruturação dos ambientes”, esclarece Leonice, ressaltando que o primeiro passo foi buscar a legalidade da sessão e fusão, coletando documentos e informações necessárias para o mesmo – “documentando tudo”.

 

Segundo ela, primeiro foi feito um levantamento de todo o acerto que havia na Biblioteca Pedro Viriato Parigot de Souza, com um olhar especial sobre tudo o que havia ali. “Pois quando recebemos as Bibliotecas tínhamos um amontoado de coisas, muitas, sem serventia alguma com equipamento e móveis estragados e as funcionárias não tinham autorização ou autonomia para o devido destino destes”, esclarece.

 

“Após organizar e avaliar o que poderia ser reutilizado e o que seria descartado, nosso olhar voltou-se na reestruturação interna da Biblioteca Cidadã para receber o acervo da Biblioteca Municipal”, disse ela aos vereadores, ressaltando que “apenas foram feitos ajustes na estruturação do ambiente para a recolocação do acerto, sendo que todos os livros, revistas e demais materiais informativos foram devidamente classificados, pela Bibliotecária Suzana L. Dutra dos Santos, funcionária efetiva do município desde 2008”.

 

Lembrou ainda que essa funcionária é nome de referência, formada em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Santa Catarina desde 1988, tendo registro no CRB 9 (Paraná) sob inscrição Estadual número 1289.

 

“Asseguramos e enaltecemos que de forma alguma ela permitiria o descarte incorreto de qualquer parte do acerto. Suzana teve total autonomia de manter o acervo que hoje se encontra junto a Biblioteca Cidadã”, frisando que de acordo do à Lei 10.753/2003, conforme Art. 18, cuja finalidade é controlar os itens e os bens patrimoniais das Bibliotecas Publicas, “o livro não é considerado material permanente”.

 

“Portanto, volta a frisar – o que realizamos foi de forma correta e só retiramos aquilo que foi considerado obsoleto e reutilizamos o que foi possível”.

 

“Fomos acusados de ter queimado 60% dos livros. Saibam os senhores que os materiais bibliográficos que foram retirados do acervo da Biblioteca, foram devidamente descartados conforme a Lei Federal que dispõe sobre a política nacional do livro”, afirma, ressaltando que o “descarte foi apenas de materiais que estavam mofados devidos a infiltrações e goteiras que vinham ocorrendo ao longo do tempo”.

 

“Também foram descartados livros didáticos que estavam ultrapassados, livros, enciclopédias, revistas e jornais que já estavam em fase de decomposição”.

 

Na sequência, Leonice entregou para a Secretária da Câmara, uma série de documentos para ser repassados aos vereadores, onde segundo ela, está tudo pautado e registrado. “Aproveitamos o ensejo para agradecer o Professor Ari que nos enviou uma solicitação para que pudéssemos esclarecer o ocorrido”, lembrando aos nobres vereadores que a Educação de São Miguel, “não pode e não irá retroceder. Vivemos e vivenciamos a era digital, mas todo e qualquer conhecimento provem da sabedoria humana e esta, está pautada em livros”.

 

Encerrando o seu depoimento com a frase escrita por Bill Gates: “Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever – inclusive a sua própria história”, convidando a todos em seguida para assistirem um rápido documentário ilustrado com fotos dos trabalhos que são realizados pela Biblioteca Cidadã, bem como, dos registros feitos durante o levantamento do acervo.

 

O Vereador Vando que havia afirmado na sessão anterior que “Nós vamos fazer a sede da Guarda ali... Eu só respeito o senhor Prefeito se ele me respeitar, se ele estiver de acordo tudo bem, se não todos vão para o pau...”, agradeceu as explicações apresentadas pela Secretaria de Educação, lembrando que, sobre o que disse sobre uma possível queima de 60% dos livros do acervo, continua investigando e que já tinha feito um requerimento solicitando explicações ao Prefeito Municipal. “No final das minhas investigações se eu chegar a conclusão que errei, humildemente pedirei desculpas – mas afirmo, continuarei investigando”.

 

Sobre o uso da tribuna que tinha prometido para essa sessão, gentilmente comunicou ao Presidente que estava abrindo mão devido ao adiantado da hora e da solenidade que viria a seguir.

 

“O que vou dizer aqui é muito forte e não vem de encontro ao momento que vamos ter a seguir – mas a semana que vem prometo usar novamente a tribuna”, disse ele.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Notre Dame
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Banner guilherme almeida
Banner o fascismo
Banner Teori
banner idiota útil
Banner Bolsonaro
Banner Teia da operação
Banner Graciliano Ramos