Vende-se apartamento no centro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Associação de Docentes da UFES
  Data/Hora: 7.mar.2020 - 10h 2 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por João Baptista Herkenhoff, Juiz de Direito aposentado, professor aposentado (UFES) e escritor. E-mail – jbpherkenhoff@gmail.com

 

Criada no dia 31 de maio de 1978, a Associação de Docentes da UFES surgiu em plena ditadura militar, pois a constitucionalização do país só ocorreu dez anos depois, com a Carta Magna de 1988.

 

Era uma época de perseguição ideológica, de incentivo às denúncias anônimas desferidas pelos chamados dedo duro.

 

Trata-se de um período que, psicologicamente, dá vontade de esquecer, mas que não pode ser olvidado para que não se replique, em nosso país, o regime ditatorial.

 

Qual seria o professor que estaria mais guardado, ou menos vulnerável, para exercer a presidência da entidade na primeira diretoria provisória – era a indagação que todos faziam.

 

Não seria um professor, que fosse também magistrado – foi o que os líderes logo imaginaram.

 

Não é que magistrado fosse muito respeitado, pois até ministros do Supremo Tribunal Federal foram compulsoriamente aposentados, naquela triste fase da vida brasileira.

 

Mas juiz de um Estado não muito grande talvez pudesse ficar quieto, ou menos assustado, no seu canto, desde que não apoiasse a guerrilha.

 

Muito bem… concluiu o grupo que estava à frente da empreitada.

 

Temos aqui na UFES um juiz que decididamente não apoia a guerrilha e que só disparou, acidentalmente, um tiro de revólver, na sua vida.

 

O fato ocorreu quando esse professor-juiz interrogava um acusado e exibiu a arma do crime para indagar ao réu se foi com aquela arma que o crime fora cometido.

 

A arma disparou, o acusado deu um pulo para trás assustado.

O Promotor, com muita calma, recolheu o objeto, mais perigoso nas mãos de quem não é perito, do que nas mãos hábeis de um bandido.

 

Não preciso dizer que o professor-juiz escalado para exercer a presidência provisória, na primeira diretoria provisória, foi o autor deste artigo.

Aquela entidade modesta, fundada em 1978, é hoje filiada à entidade nacional – ANDES. Tranformou-se em sindicato.

 

A ADUFES tem desempenhado um papel fundamental dentro da UFES, as principais bandeiras de luta da Adufes, defendidas historicamente são –

 

  1. universidade pública, gratuita e de qualidade para todos;

 

  1. autonomia universitária;

 

 

  1. democratização do acesso à universidade;

 

  1. luts contra a precarização do trabalho docente e por um projeto de carreira que valorize o professor;

 

 

  1. luts contra as reformas neoliberais, como as da Previdência, Universitária e Trabalhista, que retiram direitos dos trabalhadores e privatizam os serviços públicos.

 

Seria desejável a criação de entidades como a Adufes em todas as universidades do país que ainda não contem com uma associação de professores.

 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Otica PetriU
Bassani
Rose Bueno Acessórios
Banner laranja
Banner Einstein
banner vende apartamento II
Calendário eleitoral
Banner emprego
Banner Notre Dame
banner março 2020