Uniguaçu 2020

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
O mundo se (re)organiza, é hora de sermos colaborativos.
  Data/Hora: 29.jun.2020 - 13h 24 - Colunista: Inácio Dantas  
 
 
clique para ampliar

Por Inácio Dantas,

 

Colaboração: um por todos, todos por um[1]!

 

Uma vela acesa acende outra vela sem diminuir ou apagar sua chama. E as duas velas, acesas, aquecem e clareiam em dobro o ambiente. É assim a colaboração que se prestar:  não diminui a força ou saber do colaborador, mas torna mais forte e sábio quem recebe a colaboração.

 

Colaboração, força multiplicadora. Em uma equipe a palavra “colaboração” não deve ser um mero substantivo, um simples gesto ético humano/profissional que se propala pelos pátios e setores de uma organização. Não. Colaboração é muito mais. É definido como “trabalho/cooperação com outra(s) pessoa(s) para realizar um trabalho, uma obra, um projeto.”

 

Colaboração é você estender a mão para ajudar quem precisa, e ter mãos estendidas ao precisar ser ajudado; é você erguer alguém caído, e ser erguido por alguém ao cair; é ajudar sem pedido ser – e até mesmo se oferecer, se necessário for.

 

A ideia de que somos “onipotentes”, “autossuficientes”, que não precisamos de ninguém e que podemos fazer tudo sozinhos, embora possamos fazer muito, é um erro, filosofia a ser abandonada, pois precisamos, sim, de ajuda, apoio, e colaboração de terceiros. Numa escala hierárquica, tanto precisamos de colaboração dos superiores quanto do mesmo nível e até mesmo de subalternos. E o feedback há de ser verdadeiro. Essa inter-relação profissional deve ser mantida e ampliada, pois quem ganha é o próprio profissional, a equipe, e por consequência a empresa.

 

Fazer mais com menos. Num time/equipe, a coesão entre os profissionais é fator que impulsiona negócios, capitais, interesses, lucros e vitórias, afinal uma equipe “afinada” está pronta para “derrubar adversários”, superar concorrentes, aumentar o market-share[2] e o patrimônio. 

 

Colaboração é um gesto que soma “forças”, divide trabalhos e multiplica[3] resultados.

 

A colaboração é de um para todos e de todos para um. Energias somadas que se irradiam e produzem mais em tempo menor, com menos custos, desgaste de ferramental e fadiga da “máquina física”. O tempo de retorno se abrevia, a lucratividade aumenta e o conceito profissional aumenta seu status.

 

Inácio Dantas

Do livro “Lições para o Autoaperfeiçoamento Profissional”

Adquira em: www.agbook.com.br

 

 

 

[1]Melhor serem dois do que um, pois tem maior recompensa no trabalho. Se um cair o outro levante seu companheiro, mais ai do que estiver só…” (Eclesiastes 4:9-1)

[2]Market-Share: Grau de participação de uma empresa no mercado em termos das vendas de um determinado produto; fração do mercado controlada por ela.

[3]"A lógica por trás das melhorias de produtividade é simples: fazer mais e/ou usar menos. Fazer mais pode incluir aumentar o volume produzido (fazer mais unidades) ou aumentar o valor produzido (tornando as unidades que vendem por mais)." -  (www.agregacoworking.com.br)

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Bassani
Banner Lei Lucas
Banner Mirante
Banner violência se limite
Banner Notre Dame
Banner conar
Banner laranja
Banner Einstein
Banner emprego
Calendário eleitoral