Banner Primeiro Conart

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
A Educação em 2019
  Data/Hora: 28.set.2020 - 7h 3 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

Por Mario Eugenio Saturno,

 

Foi divulgado dias atrás, o resultado do IDEB-2019, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, que avalia os alunos nas disciplinas de português e matemática. E mostra que, no ensino médio, o Brasil não atingiu a meta estipulada pelo Ministério da Educação (MEC), embora tenha melhorado em relação ao índice anterior, o IDEB-2017. O mesmo ocorreu nos anos finais do ensino fundamental que ficou abaixo da meta. Por outro lado, nos anos iniciais do ensino fundamental, mais uma vez, ultrapassou-se o esperado.

 

O IDEB é o principal indicador da qualidade dos sistemas educacionais brasileiro. Ele é calculado com base nas médias da Prova Brasil e nos fluxos de aprovação, reprovação e abandono extraídos do Censo Escolar.

 

Diversas análises foram feitas pela grande imprensa, como não fiquei satisfeito, peguei os dados do sítio do MEC e comecei minhas próprias análises. Como o Estado de São Paulo é o mais populoso e já chegou a investir 30% do orçamento na Educação, parece óbvio estar mais atento aos resultados desse estado.

 

Nos anos iniciais, do 1º ao 5º ano, o Paraná está em primeiro lugar com 6,8, seguido por São Paulo, em segundo, com 6,6, depois, o Ceará, com 6,5, Minas Gerais, Goiás, Acre e Espírito Santo. Nos anos finais, do 6º ao 9º ano, São Paulo e Goiás estão em primeiro lugar com 5,2, seguido por Paraná, Rondônia, Acre, Espírito Santo e Ceará. E no Ensino Médio, Goiás com 4,7, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, São Paulo e Ceará.

 

Ceará e Goiás que foram destaques no IDEB-2017 perderam posição e até diminuíram suas pontuações nos anos iniciais. São Paulo teve um bom crescimento no final do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

 

Quando se considera o ensino público estadual e municipal, na fase inicial do fundamental, São Paulo lidera, seguido pelo Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Ceará e Goiás. Na fase final, São Paulo novamente em primeiro, seguido do Ceará, Goiás e Paraná. Não é difícil perceber que as cidades de São Paulo também melhoraram muito. Já no Ensino Médio, Espírito Santo está em primeiro, seguido de Goiás, Paraná e São Paulo.

 

Um fato interessante a se ponderar é que entre as cem melhores escolas públicas do Brasil, no final da Educação Fundamental, somente três escolas paulistas aparecem, e a primeira aparece na 87ª posição, da pequena cidade de Monte Azul Paulista. O Alagoas tem cinco escolas, Pernambuco tem seis e o Ceará, 39. Isso é um forte indicativo de que a educação de São Paulo é mais bem distribuída e menos desigual.

 

No Ensino Médio, entre os cem primeiros (são 127, já que no último lugar tem empate), o Ceará tem 15 escolas, o Espírito Santo tem uma, Goiás, nenhuma, e o Paraná, uma, já São Paulo tem 74, sendo que 71 escolas são ETEC – Escolas Técnicas do Estado de São Paulo. Como São Paulo tem 161 ETEC avaliadas, mostra-se um tipo de escola que além de ser profissionalizante, é bem sucedida em educar os alunos. Destes cem primeiros, destacam-se apenas 25 escolas federais, sendo que apenas quatro são colégios militares, que pelo que se investe, é decepcionante.

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner laranja
Bassani
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Banner Einstein
banner vende apartamento II
Banner emprego
Banner violência se limite
Banner pedrão 2018