Banner dengue 2021

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
A incompreendida Covid-19
  Data/Hora: 2.dez.2020 - 19h 50 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por Mário Eugenio Saturno, 

 

Trabalhar em uma instituição de pesquisa tem suas vantagens: o acesso a informações, especialmente as novas pesquisas da Covid-19. E são muitas as pesquisas desmentindo qualquer eficácia da família da cloroquina, coisa que muitos médicos negadores não aceitam... Como se resultados científicos fosse algo da opinião médica pessoal. Aliás, negar a realidade não é uma doença mental? É de assustar a quantidade de médicos que parece não entender o método de teste duplo-cego, o uso do placebo, etc.

 

A Covid-19 causou mais de 170 mil mortes, mas muitas pessoas ainda não entendem a gravidade da doença e agem como quando diziam que morreriam “somente” oitocentas pessoas e não seria mais que uma gripezinha. E, mesmo com vacina, devem morrer ainda mais de 130 mil brasileiros, ainda assim sem comover os chamados negacionistas.

 

Procurando compreender o porquê de a doença matar mais velhos do que jovens e mais homens do que mulheres, eu analisei os dados do Registro Civil dos Cartórios e descobri que isso não é verdadeiro. Eu não sou cientista médico, mas sei matemática, sei metodologia e sei analisar dados. Análise que pode salvar vidas.

 

De 01/01 a 24/11/2020, entre aqueles com idade entre 20 e 39 anos, vê-se que a Covid ceifou 6.390 vidas, mas entre 70 e 79, foram 41.733 mortos, 6,5 vezes mais mortos. Só que, se observarmos os mortos por todas as causas, dos 20 a 39 anos, morreram 47.108 pessoas, e dos 70 a 79, foram 211.201, uma proporção de 4,5, não muito diferente da observada para a Covid. Ao montar uma tabela com as quantidades de mortos por faixa de idade de dez em dez anos, por todas as causas e por Covid-19 e calcular a relação, descobre-se coisas interessantes.

 

A primeira é que morreram mais crianças menores que dez anos (25.874) do que dos 10 aos 19 (4.978) e dos 20 aos 29 (16.875), somados. Este último, explica-se por acidentes de veículos e violência, mas o que mata tanto as crianças?

 

Nas faixas de idade seguintes, vê-se que morrem muito mais velhos do que jovens. Por esta razão, olhar os números de mortes por Covid-19 por faixa sem uma ponderação, uma razão, uma proporção matemática é ser enganado como todos estão sendo e falo de jornalistas, cientistas e pessoas em geral, especialmente os jovens.

 

A proporção de mortes por Covid em cada faixa, dos 30 aos 89 anos, difere pouco. Das mortes observadas na faixa dos 30 a 39 anos, são 15,9% de Covid, dos 40 a 49, são 17,9%, dos 50 a 59, 18,5%, dos 60 a 69, 20,1%, dos 70 a 79, 19,8% e dos 80 a 89, são 16,9%. E outra coisa interessante, dos 90 a 99 anos, morreram 12,7% de Covid e acima de 100 anos, a proporção cai para 8,5%. De 0 a 9 anos, 2,3%, de 10 a 19, 7,9% e de 20 a 29, 9,4%. Percebe-se que morrem mais adultos jovens que idosos mais velhos.

 

Comparando as mortes por faixa e por sexo, a planilha mostra que, antes dos 40, proporcionalmente, a Covid mata mais mulheres do que homens, chegando ao dobro na faixa dos 20 aos 29 anos, com 14,5% contra 7,1%. Mais um mito que cai quando analisado corretamente, ou seja, contra o total de mortes por faixa de idade.

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner laranja
Banner conar
Banner pedrão 2018
Banner emprego
Banner Mirante
Bassani
Banner Einstein
Rose Bueno Acessórios
Banner violência se limite
banner vende apartamento II