Banner Primeiro Conart

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Estamos à deriva e o presidente diz que o país está quebrado – “a culpa é dessa imprensa canalha”, diz ele.
  Data/Hora: 9.jan.2021 - 20h 9 - Colunista: João Maria  
 
 
clique para ampliar

“O país está quebrado. Quero mexer nas alíquotas e não me deixam”, disse o presidente essa semana, para logo em seguida culpar a imprensa que, segundo ele – “são uns canalhas que querem de volta os que sempre lhe ajudaram”.

 

Vejam que isso vindo do presidente da República, é muito mais grave do que se imagina. Quem não deixa mexer, se a caneta está com ele? Ele não tem o comando da nação? É refém de quem mesmo?

 

Vejam que a alíquota do imposto para exportação, definido na Constituição no art., 153, II, é de 30%, facultado ao Poder Executivo reduzi-la ou aumentá-la, para atender aos objetivos da política cambial e do comércio exterior.

 

E, malandramente foi feito uma emenda que consta que – “a soja é isenta deste imposto”. Por que esse privilégio? Será que se esse imposto for cobrado, como se faz em todos os outros países do mundo como Estados Unidos, México, Canadá, Argentina e Cia., todos pagam 30% de imposto para exportar esse mesmo produto.  

 

E o resultado disso tudo é o que estamos vendo – nunca se queimou tanta floresta para que o setor avance cada vez mais e tudo vire em plantação de soja. Vocês acham que se fossem cobrados os 30% de imposto como se faz no resto do mundo, os nossos produtores iriam parar de plantar soja? É claro que não.

 

Num momento como esse que estamos vivendo, com uma pandemia avassaladora e com uma multidão de brasileiros desempregados, com esses valores cobrados não poderia continuar pagando o auxílio emergencial até que se tudo voltar a normalidade outra vez?

 

Onde estamos? Como aceitar algo assim passivamente? Como aceitar que alguém retire o imposto para compra de armas que matam e destroem vidas e, no entanto, é contra a vacinação em massa da população que salva VIDAS?

 

Quantos toneladas de soja foram exportadas em 2020? Quantos bilhões a mais o país poderia ter em caixa se tivesse cobrado os 30%?

 

Segundo os dados oficiais, o país exportou 100 milhões de toneladas de soja – se fosse cobrado os 30% como se faz em todos os países do mundo – o país poderia pagar um auxílio emergencial de R$ 1.500,00 tranquilamente. As pessoas iriam consumir mais, o comércio venderia mais e os Estados e Municípios, lucrariam muito mais com os impostos oriundos dessas transações.

 

E o mais importante – o próprio governo estaria sendo visto com outros olhos pela grande maioria da população – e, no entanto, o que vemos hoje?

 

O que se nota nisso tudo, é que pessoalmente o presidente da república é um admirador do quanto pior melhor. Ele deixa transparecer que se a metade da população morrer, vai ficar mais fácil governar e dividir os lucros.

 

Vocês já imaginaram se não fosse o trabalho exaustivo da imprensa em mostrar os números e alertar a população sobre o uso de máscara e os cuidados com lavar as mãos com álcool gel, até que se tenha uma vacinação em massa, o que teria acontecido por aqui?

 

Como alguém em sã consciência no cargo de presidente da República vem a público contrariar o avanço tecnológico, a comunidade cientifica, dando um péssimo exemplo em não usar máscara e dizer que não vai usar a vacina?

 

Onde estão os nossos Generais? Onde estão os Poderes da República?

 

E vejam – que essa semana ao elogiar o maluco do Trump que quase tocou foco na Nação mais poderosa do mundo, ele já sinalou que vai fazer coisa pior em 2022, deixando claro que não pretende deixar o cargo – sinalizando de que caso perca a eleição vai culpar a Urna Eletrônica – a mesma urna que o elegeu em 2018...

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner violência se limite
Banner Mirante
Banner pedrão 2018
Bassani
Banner emprego
Rose Bueno Acessórios
Banner Einstein
Banner laranja
Banner conar
banner vende apartamento II