banner coronavírus março

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Miriam, a irmã de Moisés
  Data/Hora: 20.abr.2021 - 7h 3 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por Mário Eugenio Saturno, 

 

Um interessante estudo sobre Miriam de Mercedes L. García Bachmann, doutora em Teologia pela Escola Luterana de Teologia de Chicago e Pastora da Igreja Evangélica Luterana Unida, foi divulgado pelo Observatório do Vaticano.

 

A autora convida a fazer um exercício de interpretação crítica e uma leitura global da figura de Miriam. Miriam ou Maria é uma das figuras mais interessantes da Bíblia, mencionada em seis textos, sendo cinco do Pentateuco. Ela é associada à salvação de Moisés quando criança (Êxodo 2) e tomando a palavra, diferentemente das muitas mulheres hebreias desses textos.

 

Ela é colocada no mesmo nível dos seus irmãos Moisés e Aarão. Ela é mencionada em duas genealogias, uma em Números (26, 59), que menciona também a mãe e a avó de Miriam, um dado extraordinário. De ambos os lados (como os seus irmãos) Miriam é levita (estirpe sacerdotal) autêntica. A segunda genealogia (1 Crónicas 5,29) é sacerdotal (observe- se como continua no versículo 30) e inclui novamente Miriam como irmã e não como esposa ou mãe de alguém.

 

Em Êxodo 15,20-21 encontramos um cântico de louvor a Deus, depois que Israel atravessou o mar, é o primeiro cântico em liberdade. Os versículos de 1 a 19 são geralmente atribuídos a Moisés, e o refrão (versículos 20 e 21) a Miriam, mas existem elementos que permitem atribuir a ela o cântico inteiro (entre outros, o testemunho bíblico segundo o qual receber os guerreiros vitoriosos com cantos e danças era tarefa que competia às mulheres: cf. Juízes 11,34 e 21,21, 2 Crônicas 35,25 e Eclesiastes 2,8). De qualquer modo, Êxodo 15,20 é o primeiro texto que menciona "Maria, a profetisa, irmã de Aarão".

 

É muito estranho falar de profecia tão cedo na história de Israel. A questão é de datação dos textos, segundo a opinião mais comum, os textos poéticos são mais antigos que os textos em prosa, como os cânticos de Débora, em Juízes 5 (outro canto de louvor de uma mulher a Javé) e de Miriam. Nota-se a profecia na interpretação da vontade divina para a situação que eles devem viver, especialmente na exortação à fidelidade ao único Deus de Israel vista no texto de Êxodo (15, 20-21), ainda mais quando se nota no final do Êxodo 14 (versículo 31): o povo temeu o Senhor e confiou nele e em seu servo Moisés. Miriam, como profetisa, convida ao louvor divino, a não idolatrar nenhum ser humano, nem sequer Moisés, que fala face a face com Deus.

 

Um fato muito importante, encontramos no capítulo 20 de Números, que logo no primeiro versículo dedica umas poucas palavras à morte de Miriam, o que é surpreendente, já que não temos notícia da morte de quase nenhuma outra mulher bíblica. E foi uma morte não atribuída a uma punição como serão as mortes de Aarão e Moisés, vista no mesmo capítulo.

 

Finalmente, o único texto na literatura profética que a menciona e fortalece o seu papel de guia encontramos em Miqueias 6, 1-8, um profeta que é um típico exemplo de acusação contra Israel, por ter sido infiel ao seu Deus. Entre as repreensões que Javé dirige a Israel reza assim: Fiz-te sair do Egito, mandei à tua frente Moisés, Aarão e Maria.

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot. com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Einstein
Banner emprego
Banner pedrão 2018
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Bassani
Banner violência se limite