casa dos tecidos

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Itaipu investe R$ 26,6 milhões em escolas estaduais do Paraná
  Data/Hora: 20.jul.2021 - 20h 10 - Categoria: Itaipu Binacional  
 
 
clique para ampliar

Da Assessoria - Foto: crédito de Silvana da Silva Paco - Convênios com a Secretaria de Estado da Educação beneficiam cerca de 12 mil pessoas, em seis cidades. Estão previstas reformas de escolas, capacitação de professores e ajuda em planos de cursos profissionalizantes.

 

A Itaipu Binacional está investindo um total de R$ 26,6 milhões em iniciativas que beneficiarão cerca de 12 mil pessoas, entre professores e estudantes das escolas estaduais do Paraná. Os convênios foram celebrados com a Secretaria de Estado da Educação (SEED).

 

Ao todo, serão contempladas 15 escolas dos núcleos regionais de Foz do Iguaçu, Cascavel e Toledo. São quatro escolas cívico-militares e outras 11 de ensino profissionalizante. A iniciativa está alinhada à missão de Itaipu, que prevê o estímulo ao desenvolvimento regional sustentável.

 

Os recursos serão aplicados em reformas de infraestruturas, capacitação de profissionais, aquisição de equipamentos, mobiliário e material didático. A Fundepar - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional é a autarquia responsável pela execução das obras, que devem ser concluídas até dezembro de 2023. As instituições de ensino ficam em Cascavel, Foz do Iguaçu, Medianeira, Palotina, Toledo e Rolândia.

 

Para o ensino profissionalizante está prevista a elaboração de três planos para novos cursos. São eles: Técnico em Agronegócio, Técnico em Desenvolvimento de Sistemas e Técnico em Agendamento de Viagens.

 

Dos colégios militares incluídos no projeto, dois ficam em Cascavel (Colégio Estadual Cataratas e Colégio Estadual Professora Júlia Wanderley), um em Rolândia (Colégio Professor José Alexandre Chiarelli) e outro em Foz do Iguaçu (Colégio Cívico Militar Tancredo Neves). Nesses prédios, as obras atenderão às diretrizes do Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares, incluindo adequações de acessibilidade.

 

“São ações que reforçam nosso trabalho na área de responsabilidade social, parte de nossa missão institucional”, afirma o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira. “Investir em educação é investir na construção de pessoas melhores e em um futuro mais promissor.”

 

Avanço

Na semana passada, representantes da Diretoria de Coordenação da Itaipu e da Fundepar se reuniram para alinhar detalhes acerca da execução das obras nas 15 escolas.

 

Participaram da reunião o diretor presidente da Fundepar, Marcelo Bueno, a equipe técnica de engenheiros responsáveis pelo Núcleo Regional de Educação de Foz do Iguaçu e o major Marcos Aparecido de Souza, gestor militar do Colégio Mitre de Foz do Iguaçu. Pela Itaipu, estiveram presentes a gerente da Divisão de Educação Ambiental, Leila Alberton, e o gestor do convênio, Gilmar Secco.

 

No encontro foram alinhados detalhes do planejamento e da contratação de serviços de engenharia para os serviços, que devem iniciar nos próximos meses e ser concluídos até 2023.

 

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,8 bilhões de MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 11% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
banner vende apartamento II
Banner Mirante
Banner emprego
Banner Einstein
Rose Bueno Acessórios
Banner pedrão 2018
Bassani
Banner violência se limite