banner dengue dezembro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Cultura
João Maria
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Armadura de Deus - Perenidade
  Data/Hora: 18.mar.2024 - 13h 57 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por Paulo Hayashi Jr. - Doutor em Administração. Professor e pesquisador da Unicamp. 

 

O chamado para o trabalho nas vinhas de Deus é responsabilidade que não pode ser transferida a ninguém. É por meio do trabalho que se obtém os frutos da maturidade e do desenvolvimento da inteligência e conhecimentos diante dos impositivos do ambiente. A labuta não apenas transforma o indivíduo como também melhora a sociedade e o mundo. Todavia, imprevistos e eventos indesejados podem acontecer e atrapalhar o dia a dia e quiçá até mesmo a existência do ser. É essencial então munir-se com a proteção divina, em especial com as orações, pensamentos e sentimentos que elevam e tragam a paz interior para que o indivíduo não descambe para o lado sombrio. Nas observações do apóstolo dos Gentios, Paulo de Tarso: "Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possa resistir ao dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes” (Efésios, 6:13).

 

A oração protege os pensamentos, clareia as ideias, eleva os sentimentos e, em especial, aproxima o indivíduo do amor de Deus. Por meio da prece, há a reunião de forças para a superação das dificuldades, bem como a confiança e a esperança de que tudo dará certo no final. A oração não apenas ampara como eleva o ser para novos rumos. É essencial que a pessoa se mantenha firme e em harmonia para ser aquele que pode ajudar o mundo a se equilibrar também. Armar-se com a proteção divina é manter-se firme ao longo do tempo e sem vacilar. Sem paralisia das atividades e com as atitudes certas diante da vida. O trabalho aprimora o ser e premia a existência por toda a eternidade.

 

Perenidade

 

O tempo cronológico pode ser visto sob o prisma da ampulheta que escorre sem parar. Não pode ser parado, mas deve ser dignificado com as ações e atitudes que dão nobreza ao ser. É o enriquecimento do indivíduo com as virtudes e qualidades que vão além do tempo e que ilumina seu interior. Amor, compaixão, sabedoria, inteligência, experiência são aspectos que auxiliam na transposição do transitório para o permanente. Por meio da reflexão na vida, percebe-se que não adianta existir para a transitoriedade e que é essencial viver com sentidos e propósitos que vão além dos boletos financeiros ou dos ganhos materiais. 

 

Quem se preocupa com a imaterialidade do ser, o chamado interior, a compaixão e a sabedoria do além-túmulo, faz da vida um legítimo ministério de aprendizagens e de peregrinações. Uma viagem tanto para o eu interior e o autoconhecimento, quanto a beleza e as oportunidades do presente. Por isso, a observação de Carl Gustav Jung: “aquele que olha para fora sonha. Mas o que olha para dentro acorda”. 

 

O eminente psicoterapeuta suíço faz do autoconhecimento a maneira de retificar suas próprias fraquezas. Quem se fortalece melhora também o seu olhar para o outro. Assim, antes de ser aquele que ajuda é necessário saber se não precisa de auxílio primeiro. É falta de consideração tentar assistir o outro sem compaixão consigo mesmo. Tampouco de se orgulhar de não precisar de ninguém. Estamos todos na lida na vinha do Criador e pela cooperação vem a solidez no tempo, bem como os laços de afinidade que perdurarão pela eternidade. 

 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Einstein
Banner Mirante
Banner violência se limite
Rose Bueno Acessórios
Banner pedrão 2018
Banner emprego
Bassani