banner coronavírus março

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Continue a fazer isso. Logo..., será mais inteligente do que o seu cérebro
  Data/Hora: 10.out.2012 - 17h 33 - Colunista: João Maria  
 
 
clique para ampliar

Ao fazer um comentário nas redes sociais, ontem, um desafeto nosso, se dirigiu de modo pejorativo ao nosso jornal. Na hora, eu me lembrei do livro “Vida e Morte dos Barões da Imprensa”, do escritor britânico Piers Brendon, onde ele relata histórias sensacionais de grandes talentos da história do jornalismo...

 

Numa delas, o professor Horace Greeley, dono do o Tribune de Nova York (que ensinou praticamente tudo aos grandes jornalistas da época), mostrou também como reagir a insultos. A um desafeto que disse que limpava o traseiro com o jornal, ele respondeu: “Continue a fazer isso. Logo sua bunda será mais inteligente que o seu cérebro”.

 

Mas, o fato é que quando isso acontece, só temos que agradecer. Pois é graças a esses comentários, raivosos ou não, que vive a redação. Ou seja, quando o sujeito pensa que está nos agredindo verbalmente, na verdade ele está nos estimulando. O nosso dia a dia é ler, observar, ponderar e escrever... Eu por exemplo, o faço com alegria, com prazer.

 

Aliás, nesse artigo que estou me referindo em que o moço fez um comentário maldoso, fui extremamente diplomático: “... o lugar mais importante do mundo é o lugar onde vivemos. Motivo pelo qual, temos a responsabilidade de procurar torná-lo cada dia melhor e melhor..., mais belo, mais criativo, mais responsável, mais humano”.  

 

Até prova em contrário (de que os novos comandantes não estão preparados para essa nova missão), todos os espíritos devem estar desarmados e centrados no nosso desenvolvimento. Não há criatividade sem vibração... Mas como fazer isso? Realmente não é tarefa fácil. Mas temos que ter um ponto de partida.

 

E o nosso ponto de partida, nesse período de transição, tem que ser de grandeza de espírito. Pode parecer utopia, mas, se não tivermos pelo menos esse propósito, esse objetivo de tentar melhorar, ajudar, apoiar..., estaremos andando na contra mão da história das civilizações. 

 

Veja que em momento algum, nós desrespeitamos quem quer que seja, fomos coerentes e altamente producentes... E a mensagem inclusive é de incentivo. Mesmo assim, por não entender nada de redação ele pegou o trecho que aparece em cima entre parentes, que na verdade é a explicação do raciocínio da frase, para nos atacar.

 

No segundo artigo, num contra-ataque do ataque, colocamos que o nosso trabalho é realmente serio. O nosso desejo é que a campanha moralizadora que se abateu em nossa cidade em 2012, iniciada pela Promotoria Pública, siga em frente, que tenha continuidade...

 

No caso dos vereadores envolvendo o Legislativo, por exemplo, onde o Vereador Giovani Amboni se auto denunciou, dando um tiro no próprio pé, é inaceitável se fazer uma varredura com relação às diárias somente num período e esquecer os demais ao sabor de conveniências.

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Bassani
Banner Einstein
Banner emprego
Banner pedrão 2018
Banner violência se limite