Prefeito é suspeito de comprar terras

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Legislativo Municipal: Vereador surta na tribuna e tenta explicar o inexplicável
  Data/Hora: 6.abr.2017 - 11h 21 - Colunista: João Maria  
 
 
clique para ampliar

Antes de entrar no espírito desta matéria, faço questão de lembrar o velho filósofo Bertold Brecht e o seu antológico pensamento: “O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce (...) o político vigarista, corrupto e lacaio das empresas nacionais e internacionais”.

 

Uso essa frase aqui para DAR UMA cutucada nas mentes dormentes que apenas esperam as eleições para se locupletar por uma semana, trinta dias, ou até mesmo um dia e depois nem se lembram da besteira que fizeram ao vender o seu VOTO. Parabéns AOS que estão lotando as dependências do Legislativo Municipal.

 

Aliás, na saída ontem (03), um cidadão me disse: “A coisa tá ficando boa tchê. Estou gostando da discussão. Se continuar nesse ritmo em bem pouco tempo vamos ficar sabendo detalhadamente a onde estão indo parar os recursos do nosso município. Não vou faltar nenhuma sessão mais e vou convidar os meus amigos para virem também”, me disse ele.

 

O que significa isso? Controle Social! Que é bom que se diga ISTO É o que tem buscado incessantemente o vereador Volmes Roberto Tinschel ao denunciar na tribuna a falta de transparência no Portal da Prefeitura Municipal.

 

Segundo ele, tentou via Câmara, entrar com um Mandado de Segurança contra o Executivo para que se cumpra a Lei, onde diz que todos os atos do Executivo devem estar disponíveis de forma transparente no Portal de Transparência do município. (Art. 2o  Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal assegurarão, às pessoas naturais e jurídicas, o direito de acesso à informação, que será proporcionado mediante procedimentos objetivos e ágeis, de forma transparente, clara e em linguagem de fácil compreensão, observados os princípios da administração pública e as diretrizes previstas na Lei no 12.527)

 

Já se passaram cinco anos e acreditem – a falta desta transparência já redundou num prejuízo de mais de 50 milhões para o município. A onde foi parar todo esse dinheiro? Quem são os novos milionários que estão hoje com as burras cheias e, já se preparando para a próxima eleição?

 

Acredito que diante da negativa da Câmara em acionar o seu departamento jurídico para entrar com esse Mandado, o próprio vereador deve recorrer ao Ministério Público e, com certeza obterá êxito, podendo inclusive fazer com que isso se transforme numa nova Ação de Improbidade Administrativa não só contra o Executivo, como também contra o Legislativo que está abrindo mão da sua função de LEGISLAR E FISCALIZAR.

 

Uma pessoa pela qual tenho o maior respeito e consideração, me dizia essa semana: “Eu acho que você está sendo injusto com o Prezinha. Ele começou agora e não tem nada a ver com esse mar de lama e corrupção que nós vimos nos últimos anos. Acho que você deveria dar um tempo para ele. Ele é uma pessoa boa e vem de uma família cuja índole não combina com esse tipo de situação”.

 

Eu lhe disse: “O mesmo respeito que você tem por ele e a sua família, eu também tenho. O problema é a nossa profissão. Fazer jornalismo nos dias atuais, não só em São Miguel, mas em todo o país é uma missão pra poucos”.

 

E no desenrolar da conversa fui procurando mostrar a ele, que o nosso objetivo não é colocar em cheque a moral do presidente e sim, alertá-lo para que desperte sobre a importância do seu CARGO num nos PODERES mais importantes da República – o LEGISLATIVO MUNICIPAL.  

 

Em termos de São Miguel do Iguaçu, por exemplo, podemos dizer que o nosso município é grande, seu território e a sua produção majestosa, - mas, grande parte dos nossos representantes não evoluíram “mentalmente. Platão já dizia: “a parte que ignoramos é muito maior que tudo quanto sabemos (...)”

 

Por que atacamos o Poder Legislativo?

 

Por que é ali, com suas “sessões pontuais”, com direito ao registro em atas e publicidade na mídia, que se chancela, aprova ou desaprova todos os atos do Executivo. Em tempos atuais podemos chamá-lo de ESCOADOURO DA PRODUÇÃO, onde uma parcela é destinada a alimentar a “fauna” e a fatia maior desviada para LOCUPLETAR as sentinelas de PLANTÃO que financiaram a campanha e se acham no direito de meter a MÃO...

 

 

A primeira pessoa a usar a tribuna foi Luiz Antonio Klajn, secretário de Saúde, convidado pelos vereadores para prestar esclarecimento sobre o fechamento de vários Postos do Interior, ocorrido na semana passada e denunciada na Tribuna daquela Casa de Leis.

 

O Secretário relatou que nenhum posto de saúde foi fechado no município. “Tanto o Posto de Santa Rita e de Guanabara, continuam funcionando e com o médico fazendo as visitas para atender a população como sempre fez. O que mudou foi que diante do crescimento da demanda dos atendimentos na sede e a dispensa de várias pessoas que trabalhavam tivemos que fazer uma readequação com as profissionais que faziam o atendimento nestes locais. Isto é temporário, tendo em vista que o município já está providenciando a contratação de mais 15 profissionais e no máximo até o final de abril, o atendimento nestes postos volta a ser como antes”, afirmou o Secretário.

 

Na sequência o Secretário usou os seus 15 minutos que tem direito na Tribuna para discorrer sobre o seu setor, citando números de atendimentos e deixando claro que existe uma grande preocupação com a demanda principalmente com pessoas que vem de fora buscando atendimento aqui. Segundo ele, existem hoje 60 mil cartões de SUS, num município com 27 mil habitantes. Logo em seguida, foi questionado pelos vereadores.

 

Uma das questões abordada foi sobre o funcionamento do Hospital Maternidade. Quando é que ele realmente vai funcionar e atender a população.

 

Segundo o Secretário, a previsão é que até o final de julho, o Hospital seja aberto. “Estamos trabalhando em cima desta previsão e já está sendo montada uma Comissão encarregada de buscar qual será a melhor forma de gestão”, disse ele, citando inclusive que a demanda hoje do município em termos de “maternidade”, gira em torno de 40 a 50 casos por mês. “Vamos buscar parcerias com outros municípios também, visando tornar isso viável”, discorreu.

 

O vereador Tinschel, por sua vez, lembrou que gostaria imensamente de ver esse Hospital aberto, mas, questionou: “Ainda estamos no primeiro quadrimestre do ano e vendo os números de que já extrapolam os 52%, faltando ainda dois quadrimestres, eu quero ver como é que esse gestor público vai se virar para colocar esse hospital em funcionamento”.

 

Voltou a citar novamente a sua luta para que o Portal de Transparência passe a funcionar como manda a Lei. “Vejam os senhores que para uma empresa ser enquadrada como micro empresa, ela não pode faturar mais de R$ 360.000,00 por ano. E, no entanto, nós temos uma empresa, cujo capital social está declarado em R$ 88.000,00, já ganhou em licitação esse ano R$ 480.000,00. E se olharmos as suas atividades, mesmo com esse valor declarado, ela tem 62 itens de atividade. Ela faz praticamente tudo o que você pode imaginar. Não estou aqui afirmando nada, só estou alertando que onde tem fumaça, tem fogo”, lembrou.

 

Citou ainda outros dois casos envolvendo um dos veículos da Guarda Municipal e a sede da AMASMI, cujas atividades já estão funcionando na Prefeitura desde janeiro de 2017. “Essa casa de Lei autorizou o funcionamento desta Associação no dia 23 de fevereiro de 2017. Ou seja, está errado – ela não poderia estar funcionando lá desde janeiro”, pontuou, deixando claro que quando cometemos pequenos deslizes, não temos moral para falar em moralidade. “Um pai que não dá o exemplo ao seu filho, não pode cobrar dele outra atitude”, pontuou.

 

Um dos pontos altos desta sessão foi a Moção de Repúdio, apresentada pelo vereador Professor Ari, contra a Reforma da Previdência. Um texto lúcido, que é bom que se diga, segundo o Ari todos os vereadores se encarregaram de assiná-lo e que ontem mesmo foi encaminhado para a Assembleia Legislativa do Paraná, onde deverá se juntar a outras que serão encaminhadas ao Congresso Nacional.

 

Voltando ao título desta matéria e para dar uma clareada no mesmo poderíamos dizer que: enquanto uns avançam de forma didática, educativa e altamente civilizada buscando transparência e decência em todos os atos que envolvem uma Administração Pública, digna do nome, outros estaciona no tempo e no espaço e ficam verberando suas emoções egóicas, visando única e exclusivamente o seu próprio umbigo.

 

 

O vereador em questão que surtou na tribuna (citado no título) foi o Wando da Garagem (Vanderlei dos Santos). De maneira errada e equivocada, ele iniciou o seu pronunciamento sobre saúde, lembrando-se do passado e falando do que não sabe – ou se sabe, procura camuflar a verdade e mal intencionado tenta justificar o injustificável.

 

Ele foi o último orador a usar a tribuna e iniciou lembrando que na semana passada, ao compartilhar uma matéria nas redes sociais tinha levado pau de tudo quanto é jeito.

 

“Não levei pau da população – mas de uns dois ou três por aí que acham que nós estamos fazendo tudo errado...”, disse ele. Em seguida, fez uma série de ataques pessoas contra o vereador Tinschel, dizendo inclusive que se sente ameaçado e intimidado para desempenhar o seu papel como vereador, tendo em vista que além de vereador ele também é policial federal e está em serviço 24 horas por dia para proteger a população, inclusive, o próprio vereador. (sobre esse assunto e outras patacuadas que disse o vereador, eu prometo fazer uma matéria especial, tendo em vista que essa já ficou grande demais e ele tocou em assuntos que precisam ser amplamente esclarecidos).

 

OBS: Essa foto nós publicamos na última edição sobre o Legislativo Municipal e estamos replicando hoje de novo, tendo em vista que o Bortoluzi, que está lá no fundo nos disse que ele não estava aí nesse corredor para olhar nos olhos dos vereadores como colocamos na matéria... "Eu estava lá para reivindicar a abertura do Posto da Santa Rita", me disse ele.   

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner pedrão
Banner Abraços
Banner esporte é vida
comercial advogado
Rose Bueno Acessórios
Grandinox
Alquimia
Pesqueiro das Irmãs
Cerâmica Zanoni
Otica PetriU