Banner Hospital Mãe de Deus novo

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
33 anos de operação: Itaipu produz hoje 374 vezes mais do que em 1984
  Data/Hora: 4.mai.2017 - 17h 0 - Categoria: Itaipu Binacional  
 
 
clique para ampliar

Atualmente, a usina produz em um único dia o equivalente a tudo o que gerou no primeiro ano de operação. 

 

Fotos AM: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional - RF: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

 

Em 1984, ano em que a hidrelétrica de Itaipu começou a operar de forma parcial, com uma das 20 unidades geradoras, a usina produziu 276 mil megawatts-hora (MWh). Neste dia 5 de maio, exatamente 33 anos depois, com o projeto totalmente concluído, Itaipu gera esse volume em apenas um dia, em média. A produção total de 2016, de 103 milhões de MWh, equivale a 374 vezes o que se produziu na época.

 

Para continuar sendo vital para o desenvolvimento do Brasil e Paraguai, a Itaipu inicia no segundo semestre de 2017 um projeto de modernização tecnológica de sua planta, que precisa se manter confiável para atender com qualidade à demanda dos dois países sócios no empreendimento. O investimento na atualização da usina será de US$ 500 milhões, para um prazo previsto de dez anos. 

 

 

“Essa atualização vai garantir que a Itaipu produza energia de forma sustentável, com volumes semelhantes ao da última década, cuja média esteve acima dos 93,2 milhões de MWh”, diz o diretor-geral brasileiro, Luiz Fernando Vianna, que acumula o cargo de diretor técnico executivo. O diretor explica que será um trabalho complexo, mas sincronizado. “Faremos um plano integrado para dar continuidade à produção otimizada, respeitando, ao mesmo tempo, as manutenções preventivas e a modernização das unidades geradoras.”

 

Vital

Com a economia estagnada nos anos 1980, muitos eram céticos em relação à necessidade de um projeto tão grandioso como Itaipu, com um potencial de 12,6 mil megawatts (hoje são 14 mil MW). Mesmo com as críticas, o governo federal decidiu dar seguimento à obra. Essa decisão foi essencial para garantir o crescimento da economia nacional e paraguaia. A Itaipu se tornou estratégica para os dois países. Em 2016, a binacional respondeu por 17% do consumo de energia elétrica do mercado brasileiro e 76% do paraguaio.

 

A produção de energia teve início dez anos depois de constituída a empresa binacional Itaipu, para gerenciar e administrar a usina (Itaipu comemora 43 anos de criação no dia 17 de maio). Exatamente às 12h40 do dia 5 de maio de 1984 foi feita a primeira interligação com o sistema elétrico do Paraguai, país sócio do empreendimento. Para o Brasil, o primeiro MWh produzido foi às 12:45h do dia 8 de outubro de 1984.

 

Produção atual

Este ano, Itaipu caminha para se manter no topo da liderança mundial com atendimento das demandas brasileira e paraguaia. Desde o início de janeiro, a usina produziu, até as 18h desta quinta-feira (4), 33,8 milhões de megawatts-hora (MWh). Esse volume já é maior do que a produção de qualquer uma das 4 mil usinas instaladas no Brasil em todo o ano passado. Neste ano, o índice de eficiência operacional, que mede o percentual da água turbinável, efetivamente usada para a geração de energia, tem sido de 100%. A melhor marca atingida antes disso foi em 2014, com 99,3%.

 

Só esses 33,8 milhões de MWh seriam suficientes para abastecer a cidade do Rio de Janeiro por um quase dois anos. Em 2016, nesse mesmo período, a hidrelétrica de Itaipu gerava 35,4 milhões de MWh. O volume atual é menor do que o registrado no mesmo período no ano passado, mas está entre as melhores produções do histórico de Itaipu. Só perde para os anos de 2016, 2013 e 2012, os chamados "anos de ouro" da usina.

 

Nesses 33 anos de operação, a usina já soma 2.449.540.628 MWh de energia acumulada. Em novembro, a produção deve chegar a 2,5 bilhões de MWh. Se toda essa energia produzida pudesse ser armazenada, seria suficiente para abastecer o mundo com eletricidade por 41 dias.

 

Geração ano a ano

No primeiro ano de operação, a partir de maio de 1984, Itaipu gerou 276.529 MWh. No ano seguinte, esse volume subiu para 6.327.274 MWh. Ainda na década de 1980, chegou a produzir 47.229.655 MWh.

 

Em 1995, pela primeira vez a Itaipu ultrapassou o previsto no Tratado que deu origem à usina (a energia contratada prevista no documento é de 75 milhões de MWh). Foram 77.212.396 MWh naquele ano. Em 1999, a usina superou a marca dos 90 milhões de MWh, com um total de 90.001.900 MWh. Em 2016, Itaipu ultrapassou os 100 milhões de MWh. É a única usina do mundo a superar essa marca.

 

 

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner pedrão
Banner esporte é vida
comercial advogado
Transmorgan
Auditoria da Dívida Publica
Bassani
Pesqueiro das Irmãs
Laticinios
Otica PetriU
Banner Abraços