Vende-se apartamento no centro

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Itaipu e ONU Mudanças Climáticas fazem parceria para demonstrar o potencial da hidroeletricidade
  Data/Hora: 22.nov.2018 - 16h 23 - Categoria: Itaipu Binacional  
 
 
clique para ampliar

Binacional participa da COP 24 em Katowice (Polônia), expondo suas melhores práticas no Pavilhão de Soluções da UNFCCC

 

Da Assessoria - Fotos: Itaipu/Binacional Durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 24, em Katowice, Polônia, de 2 a 14 de dezembro), a Itaipu Binacional será parceria da ONU Mudanças Climáticas (UNFCCC, em inglês) para apresentar as melhores práticas do setor.

 

Nesta quinta-feira (22), a organização ligada às Nações Unidas anunciou em sua página na web (https://unfccc.int/news/how-hydropower-can-help-climate-action) a parceria com a binacional, apresentada como exemplo de como a energia hidráulica pode prover eletricidade em larga escala, ao mesmo tempo em que evita as emissões de gases de efeito estufa.

 

 

Localizada na fronteira do Brasil e do Paraguai, a usina abastece cerca de 15% do consumo brasileiro de eletricidade e 86% do paraguaio. Detém o recorde mundial de geração anual, com 103,1 milhões de MWh gerados em 2016. Para produzir energia equivalente, seriam necessários mais de meio milhão de barris de petróleo por dia.

 

Na apresentação da parceria, a UNFCCC reconhece que, embora projetos de grandes usinas como a Itaipu apresentem inicialmente impactos ambientais e sociais, no caso da binacional, estes foram compensados pelos cuidados ambientais na região em torno do reservatório. E a empresa vai além da compensação, atuando em diversas frentes para o desenvolvimento sustentável das comunidades localizadas na fronteira entre os dois países.

 

Conforme a ONU Mudanças Climáticas, embora a evolução das energias solar e eólica venha sendo o carro-chefe da transição para uma economia de baixo carbono, a hidroeletricidade permanece como um dos pilares da matriz energética em algumas partes do globo, como na América Latina, onde representa mais de 80% da capacidade instalada, de acordo com a Agência de Energia Renovável Internacional (Irena, em inglês).

 

 

É por isso que a fonte hidráulica tem um papel-chave a desempenhar no Acordo de Paris, em que 175 países do mundo inteiro se comprometeram com a ação climática, com o objetivo de limitar o aumento da temperatura global e seus efeitos mais adversos, como secas e tempestades mais severas.

 

Parceria com a UNDESA

A empresa estabeleceu a parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia com o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (UNDESA), em março de 2018, e lançará uma plataforma para essa iniciativa durante a COP 24.

 

O objetivo é construir uma rede global multi-stakeholder que permitirá incrementar capacidades, diálogos e cooperação em vários níveis para facilitar a implementação da Agenda 2030, particularmente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 6 (Água Potável e Saneamento) e 7 (Energia Limpa e Acessível), que estão fortemente conectados com o ODS 13 (Ação Climática).

 

 

“As mudanças climáticas desafiam governos, empresas e outras organizações a trabalharem juntas para construir um futuro sustentável para todos. A Itaipu entende que deve não apenas que gerar energia limpa e renovável, mas também promover a segurança hídrica, a conservação da biodiversidade e o desenvolvimento social no Brasil e no Paraguai”, afirma o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Marcos Stamm.

 

“Itaipu é uma parceria binacional que demonstra que o entendimento comum entre nações é um fator-chave para construir o caminho para a sustentabilidade e para reduzir os impactos das mudanças climáticas”, afirma o diretor-geral paraguaio José Alberto Alderete Rodríguez.

 

Algumas das iniciativas da empresa para combater as mudanças climáticas, promover a segurança hídrica e minimizar impactos sociais no Brasil e no Paraguai são:

  • A preservação de 104 mil hectares da Mata Atlântica nos dois países;
  • A recuperação de bacias hidrográficas ao redor do reservatório, protegendo nascentes e matas ciliares, empregando técnicas de conservação de solos e incentivando a agricultura sustentável;
  • O pagamento de mais de US$ 11 bilhões em royalties aos tesouros nacionais brasileiro e paraguaio, que são distribuídos aos governos federais, estados e municípios dos dois países;
  • No Paraguai, a Itaipu coordena o programa Paraguai Biodiversidade, que busca preservar a diversidade biológica ligando fragmentos de remanescentes florestais e promovendo o uso sustentável da terra;
  • A frota da Itaipu é movida quase que exclusivamente a eletricidade ou a biocombustíveis, o que evita a emissão de cerca de 900 toneladas de CO2 equivalente por ano.
  •  

Eventos da Itaipu na COP 24

Representantes da Itaipu participarão dos seguintes eventos sobre energias renováveis e segurança hídrica durante a Conferência do Clima das Nações Unidas:

  • Cerimônia de lançamento: Rede Global “Soluções Sustentáveis em Água e Energia” 4 de Dezembro / 17h40 às 19h10 / Espaço Brasil na COP 24
  • Side event “Soluções sustentáveis em água e energia como resposta integrada à mudança climática” 5 de Dezembro / 9h30 às 11h / MCK Theatre
  • Side event “Estimulando a biodiversidade a infraestrutura verde baseada em serviços ecossistêmcios para a mitigação e adaptação à mudança climática” 5 de Dezembro / 18h às 19h30 / MCK Theatre
  •  

Sobre as parcerias entre a ONU Mudanças Climáticas e outras partes interessadas

A parceria com a Itaipu faz parte de uma série de parcerias estabelecidas pela ONU Mudanças Climáticas com stakeholders relevantes para apoiar a ação climática. As parcerias para a COP 24 promovem um envolvimento crescente de outras partes interessadas (organizações não diretamente ligadas à ONU), conforme previsto na Parceria Marrakesh para a Ação Climática Global (MPGCA, em inglês).

 

A MPGCA foi lançada durante a COP 22 pela Conferência das Partes, explicitamente estimulando a adesão das outras partes interessadas (incluindo a inciativa privada) à ação climática, para ajudar na consecução do Acordo de Paris. Todas as organizações da sociedade são fortemente encorajadas a incrementar seus esforços e a apoiar as ações para reduzir as emissões, bem como a fortalecer a resiliência e diminuir a vulnerabilidade aos efeitos adversos das mudanças climáticas.

Sobre Itaipu:

A Itaipu Binacional é a maior geradora de hidroeletricidade na história, com mais de 2,6 bilhões de MWh produzidos desde 1984. A usina é resultado de uma parceria entre o Brasil e o Paraguai e está localizada no Rio Paraná, fronteira entre os dois países. Com 14.000 MW de capacidade instalada, detém o recorde mundial de produção anual, com 103,1 milhões de MWh produzidos em 2016. É responsável por 15% do suprimento de eletricidade ao Brasil e 86% ao Paraguai. O alcance de Itaipu, entretanto, vai muito além da geração de energia, com diversos projetos voltados ao desenvolvimento sustentável da região de fronteira entre os dois países.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner guilherme almeida
Banner pedrão
Banner Banda Show
Bassani
banner vende apartamento II
banner vende capeletti
Otica PetriU
Rose Bueno Acessórios