Banner Primeiro Conart

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Sobre espertalhões
  Data/Hora: 9.abr.2019 - 16h 43 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Conta Carl Sagan, no seu livro O Cérebro de Broca, que na Grécia do século I d. C., durante o reinado do imperador romano Marco Aurélio, viveu um homem erudito com o nome de Alexandre de Abonothicus. Esperto e sem escrúpulos, um dia, entrou no mercado quase nu, com uma tanga ornamentada, trazendo o seu sabre e, abanando o seu longo cabelo solto, fez um discurso predizendo o advento de um novo deus oracular.

 

Em seguida correu para o lugar onde o templo seria construído, com a multidão arrastando-se atrás de si, e descobriu (onde já o tinha enterrado) um ovo de ganso em que colocara um filhote de cobra. Abrindo o ovo, apresentou a pequena cobra como o deus profetizado. Retirou-se depois para sua casa por uns dias ao fim dos quais se apresentou à multidão ofegante mostrando o seu corpo envolvido por uma grande serpente, que teria crescido de forma impressionante.

 

A serpente era de uma espécie enorme e convenientemente inofensiva, adquirida para este fim pouco tempo antes na Macedônia. Ele apresentava-se com um turbante de linho. A sala era pouco iluminada e, por causa da pressão da multidão, nenhum dos visitantes podia ficar por muito tempo para olhar a serpente com atenção. A opinião das gentes foi a de que o vidente tinha gerado efetivamente um deus.

 

Alexandre anunciou nessa altura que o deus estava preparado para responder a perguntas por escrito fechadas em envelopes lacrados. Quando só, ele próprio os abriria, leria as mensagens e anexar-lhes-ia uma resposta. E veio gente de todo o Império para testemunhar aquela maravilha. Quando o oráculo estivesse errado, Alexandre simplesmente refazia a resposta que tinha dado. Quando a pergunta de um rico revelasse alguma fraqueza ou culpa secreta, Alexandre não tinha escrúpulos em explorar. Ele ganhou o equivalente hoje a várias centenas de milhares de dólares e fama.

 

Dois mil anos depois, Lamar Keene foi, durante treze anos, médium espírita e pastor da Igreja da Assembleia da Nova Geração em Tampa, sucursal da Associação Espírita Universal. Foi uma figura de renome na principal corrente do movimento espírita norte-americano. Mas ele é um charlatão confesso, que acredita que sessões e mensagens mediúnicas dos mortos são fraudes.

 

Como Alexandre, Keene respondia a questões que lhe remetiam em envelopes fechados no púlpito. Observava o conteúdo com uma pequena lanterna que trazia escondida ou entornando fluido de isqueiro sobre o envelope, que o tornava momentaneamente transparente. Usando truques de mágicos, explorava a credulidade e a falta de ceticismo que tinham seus clientes e paroquianos, e ganhou, como Alexandre, dinheiro e fama.

 

E em áreas mais universitárias, é possível enganar? Pensemos um pouco. Platão foi um gênio? Aristóteles também? E Descartes? Agora imaginem que qualquer um que tenha lido uns 10 livros de grandes pensadores pegue o melhor disso e comece a escrever e ensinar Filosofia. Quem nunca leu nenhum filósofo vai acreditar que esse escritor seja um grande pensador e quem fizer seu curso vai acreditar que ficou iluminado. Assim agem muitos embusteiros por aí!

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Psicologia
Banner pedrão 2018
Banner guilherme almeida
banner vende apartamento II
Banner Teori
Banner Teia da operação
Banner a dieta perfeita
Banner violência se limite
Banner o fascismo
banner idiota útil