Banner Campanha Itaipulândia agosto segunda

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Gleisson recebe o cargo de reitor e apresenta equipe de gestão
  Data/Hora: 28.jun.2019 - 17h 46 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

Da Assessoria - A UNILA é uma instituição brasileira que se orgulha de atrair para suas salas e laboratórios estudantes do Brasil e de toda a América Latina, contribuindo para a consolidação do País em uma posição de destaque regional na educação superior. A fala fez parte do discurso do novo reitor da UNILA, Gleisson Alisson Pereira de Brito, que, junto com o vice-reitor, Luis Evélio Garcia Acevedo, recebeu o cargo de seu antecessor, Gustavo Oliveira Vieira, em solenidade realizada nesta quinta-feira (27). Gleisson é o primeiro reitor eleito da UNILA e estará à frente da instituição no quadriênio 2019-2022. A posse foi realizada em Brasília, no dia 19 de junho.



Na solenidade, realizada no auditório da unidade Jardim Universitário, também foram apresentados os novos pró-reitores, secretários e gestores. A cerimônia reuniu autoridades do município e do Estado.


Antes da assinatura do documento de transmissão do cargo, Gustavo Vieira, em seu discurso, falou sobre o momento histórico para a UNILA, com a posse do primeiro reitor eleito. “Gostaria de chamar a atenção para a importância deste momento. Esta é a primeira Reitoria eleita pela comunidade acadêmica da UNILA, uma afirmação muito significativa da autonomia universitária, princípio que estrutura essas instituições e que está registrada na nossa Constituição”, disse Gustavo Vieira.


Ele também fez um relato das ações e resultados de sua gestão, que teve início em junho de 2017. Entre outros pontos, o ex-reitor destacou o crescimento no número de estudantes, com a inclusão de indígenas e refugiados, e o de nacionalidades presentes na Universidade – de 20 para 33 países; o processo que levou às eleições para a Reitoria; as articulações com a comunidade em defesa da Universidade e a realização de audiências públicas, com a participação da comunidade acadêmica, para a discussão de temas que necessitavam de soluções, como a questão da permanência estudantil, orçamento e infraestrutura. "É fundamental, e trabalhamos muito para isso, para melhorar a visão de conjunto de toda a comunidade acadêmica sobre os nossos problemas estruturais. Sem essa compreensão, o enfrentamento desses problemas não se torna possível", analisou.


Ele destacou, também, a importância da identidade da UNILA e sua missão para o desenvolvimento da América Latina. “A UNILA se firma institucionalmente como uma perspectiva de integração com a América Latina. Este é um desenho institucional acertado para a inovação na produção do conhecimento que o século 21 precisa.”


Nova gestão
Em seu discurso, Gleisson Brito fez um panorama dos modelos de universidades para também defender a identidade da UNILA e seu objetivo de integração latino-americana. “A UNILA estabelecerá raízes cada vez mais profundas em Foz do Iguaçu, na Tríplice Fronteira, e se consolidará como patrimônio educativo latino-americano. Esse é o nosso desejo, nossa meta e o caminho que caminharemos juntos”, disse.


Ao apontar os desafios de sua gestão, Gleisson lembrou dos compromissos assumidos no processo eleitoral do ano passado, salientou que a visão de gestão da nova equipe está estruturada numa concepção de excelência acadêmica e administrativa e defendeu a autonomia da Universidade. “Compreendemos a UNILA como uma instituição estratégica para o Brasil, com potencial para contribuir para os desenvolvimentos educacional, científico, econômico e social, tanto no âmbito local, regional, quanto continental. Nós concebemos a nossa universidade como um projeto de Estado, que goza de autonomias administrativa, financeira e patrimonial por determinação constitucional. Uma instituição que precisa estabelecer parcerias sólidas e produtivas com os atores locais e regionais, mas não pode jamais olvidar sua independência como autarquia federal.”


Ele listou algumas das ações que devem ser desenvolvidas com foco nas atividades finalísticas da universidade: ensino, pesquisa e extensão. Entre outros compromissos, ele citou a defesa da independência institucional, a busca da autonomia em infraestrutura, com o primeiro prédio próprio, a consolidação do processo de institucionalização acadêmico-administrativa, a busca de recursos para a universidade. "[Nosso compromisso] é defender interesses institucionais através do enfrentamento estratégico de quaisquer políticas equivocadas que coloquem em risco o ensino superior público de qualidade. Enfim, é fazer uma gestão criativa, proativa e responsável."


Também compuseram a mesa de autoridades, Karl Stoeckl, representando o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; Aldo Nelson Bona, superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, representando o governador do Paraná, Carlos Roberto Massa Júnior; os diretores dos Institutos acadêmicos da UNILA: Gerson Ledezma (ILAACH), Luciano Lapas (ILACVN), Jiam Frigo (ILATIT) e Johnny Obando Moran (ILAESP); a decana da UNILA, Laura Amato, representando os docentes; a estudante Luana Vargas Paes Leme, representando os discentes; e o servidor Michael Jackson da Silva Lira, representando os servidores técnico-administrativos. 
 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Teia da operação
Banner Mirante
Banner o fascismo
Banner Lei Lucas
Banner brasil
Banner a dieta perfeita
Banner Jorge amado
banner idiota útil
Banner Graciliano Ramos
Rose Bueno Acessórios