Banner Primeiro Conart

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Ensino Médio Noturno ganha apoio e força da comunidade e a população continua mobilizada, mesmo diante do recuo do Governo do Estado...
  Data/Hora: 27.nov.2019 - 10h 31 - Categoria: Educação  
 
 
clique para ampliar

O fato é que, houve sim um recuou por parte do governo que demonstra na prática que não tem nenhum apreço pelo Ensino Público de qualidade. Nunca se viu na história desse Estado, os professores tão desmotivados, com relatos dramáticos de que muitos estão adoecendo pela tristeza de ver a falta de respeito com a classe, deixando-os sem energia para enfrentar uma sala de aula.

 

Em reunião realizada ontem (26), nas dependências do Colégio Parigot que contou com a presença dos membros da APMF, Conselho Escolar, Professores, Funcionários, Pais e a comunidade escolar, foi debatido exaustivamente sobre estratégias de resistência para manter o Ensino Médio Noturno na instituição.

 

O Professor Marcel de Medeiros lembrou que não está sendo fácil ser Professor no Estado do Paraná, nesse início de governo. Referindo-se ao Ensino Público, disse que foi graças a um Colégio Público é que conseguiu completar o Ensino Médio Noturno em 1976, 77 e 78.

 

“Perdi meu pai aos 11 anos de idade e desde cedo tive que trabalhar duro para ajudar nas despesas de casa. E se hoje sou professor, foi graças à oportunidade que tive de fazer o Ensino Médio Noturno aqui no Colégio Parigot”, salientou, ressaltando que hoje o Colégio tem três turmas de do 9º ano que, automaticamente estarão no 1º ano do Ensino Médio o ano que vem – “são 90 alunos, muitos deles filhos de agricultores que a exemplo da maioria que estão aqui, precisam trabalhar durante o dia e estudar a noite. Como é que vão ficar a situação desses alunos?”, se pergunta.

 

“Fico feliz em tê-los aqui essa noite. Isso mostra que não estamos sós – isso nos fortalece cada vez mais”, disse visivelmente emocionada a Professora Rejane Christ, Diretora do Colégio, ressaltando que “essa causa não é só dos Professores, mas de todos, principalmente da comunidade que vive ao entorno do Parigot”.  

 

Na sequência, lembrou que o Governo do Estado havia recuado e divulgado uma nota dizendo que a notícia divulgada sobre possível fechando do Ensino Médio Noturno não passa de Fake News – “como assim Fake News?”. “Eu participei desta reunião junto ao Núcleo que, mesmo sendo verbalmente, eles nos comunicaram de que já no próximo ano não teríamos mais o 1º ano do Ensino Médio Noturno”, afirma.

 

Depois de fazer uma ampla explicação da real situação que passa a Educação no momento, lembrou que a Lei nº 9394/96, (a Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional) em seu artigo 28º, “traz a garantia da educação para todos, com igualdade de condição para o aceso e permanência na escola, respeitando sempre as especificidades e as características próprias de cada uma das comunidades”.

 

“Temos que lutar pelos nossos direitos. Caso contrario vamos ter como consequência o aumento da evasão escolar atingindo principalmente os alunos que precisam trabalhar de dia”, pontifica. Todos os presentes assinaram um abaixo assinado solicitando a permanência do Ensino Médio Noturno não só no Colégio Parigot, mas em todo o Estado.   

 

A Diretora quando falou em Fake News, estava se referindo a nota divulgada através da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte na tarde de ontem (26), aonde o Governo do Paraná vem a público afirmar que são incorretas as informações de que o Ensino Médio Noturno será encerrado. “O Ensino Médio noturno não será encerrado. O planejamento escolar prevê, para o ano letivo de 2020, 100 mil vagas para o período. Se houver necessidade de abertura de vagas para atender mais alunos, a Secretaria garante a oferta”, afirma o governo.

 

 

E a pergunta que se faz é: “com autorização de quem que o Núcleo Regional de Foz do Iguaçu convidou Diretores de Escolas da região para comunicar verbalmente que a partir de 2020 não seria mais feito matrículas para a 1ª série noturno do Ensino Médio e nos anos seguintes com a 2ª e a 3º série?”

 

O que é Fake News para o Governo? Não seria muito mais claro honroso e respeitoso assumir o próprio erro e dizer a comunidade escolar que estava voltando atrás de uma decisão (mesmo interna) e feita de forma verbal ela foi precipitada e descabida?

 

A nota divulgada acrescenta que – “Buscando democratizar o acesso ao Ensino Médio, a Secretaria ampliou a oferta de vagas para o período diurno, uma vez que em muitos municípios a única opção do estudante era cursar o noturno”.

 

“Nas instituições de ensino em que há disponibilidade de espaço físico (salas de aulas ociosas) no período da manhã e/ou tarde, os alunos poderão optar pelo Ensino Médio diurno”, finalizando que a Secretaria avalia os meios legais para combater as notícias inverídicas a esse respeito.

 

Mais uma perguntinha: Da onde saiu isso que causou desespero e preocupação entre alunos, pais e professores? Em nota, a Seed informou que as mudanças serão graduais. No ano que vem não abrirão vagas para o primeiro ano do Ensino Médio no turno da noite, anunciando o fim gradativo das turmas noturnas”.

 

Se o governo quiser responsabilizar alguém pelo o que ele chama de Fake News na Educação, deveria primeiro, começando por uma sindicância interna para apurar quem foi o responsável por essa irresponsabilidade...

 

O fato é que, houve sim um recuou por parte do governo que demonstra na prática que não tem nenhum apreço pelo Ensino Público de qualidade. Nunca se viu na história desse Estado, os professores tão desmotivados, com relatos dramáticos de que muitos estão adoecendo pela tristeza de ver a falta de respeito com a classe, deixando-os sem energia para enfrentar uma sala de aula.

 

É por essas e outras que passamos a entender com mais nitidez a vontade de se construir no varejo mais e mais Casas de Custódias em todo o Estado. Devem pensar que é muito mais lucrativo investir na repressão, típico dos regimes ditatoriais do que no CONHECIMENTO, na EDUCAÇÃO... 

 

Uma foto que não precisa de legenda, basta olhar e constatar a emoção, a alegria de fazer parte desta instituição...

 
     
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Graciliano Ramos
Banner conar
Banner laranja
Banner Mirante
Banner Jorge amado
banner vende apartamento II
Banner as cidades tem alma
Banner brasil
Banner Bertold Brecher
Otica PetriU