Banner Primeiro Conart

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Ex-prefeito de Foz do Iguaçu/PR Reni Pereira é condenado a 11 anos de prisão
  Data/Hora: 6.fev.2020 - 17h 3 - Categoria: Foz do Iguaçu  
 
 
clique para ampliar

 Ex-gestor também terá de pagar mais de R$ 1 milhão em multas

 
 Da Assessoria de Comunicação - Foto: arquivo/internet - O ex-prefeito de Foz do Iguaçu/PR Reni Clóvis de Souza Pereira foi condenado na última terça-feira, 4 de fevereiro, a sete anos e quatro meses de reclusão por corrupção passiva e usurpação da função pública, a mais quatro anos de detenção por fraude à licitação e ao pagamento de duas multas que totalizam pouco mais de R$ 1 milhão. Somadas, as penas de prisão chegam a 11 anos e quatro meses. A sentença é da 3ª Vara da Justiça Federal em Foz do Iguaçu e resulta do desmembramento da denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal contra 85 pessoas no âmbito da Operação Pecúlio.
 

Reni Pereira foi condenado em cinco fatos apresentados na denúncia e absolvido nos demais, dos quais, em alguns, o próprio MPF requereu a absolvição em alegações finais. Nos demais fatos em que houve a absolvição do réu será interposto recurso ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), especialmente em relação àqueles idênticos aos imputados a Reni Pereira nos quais houve a condenação dos coautores, pelo juízo de primeiro grau, na ação nº 5005325-03.2016.404.7002 (Operação Pecúlio - atualmente aguardando julgamento no TRF4) e seus desdobramentos.

 

Entenda o caso - As apurações revelaram a existência de uma organização criminosa na gestão de Reni Pereira (2013 a 2016) estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagens de natureza econômica e pessoal, por meio da prática de graves infrações penais, como corrupção ativa, passiva, peculato, fraude à licitação, dentre outras.

 

Articulada e planejada antes mesmo da posse de Reni Pereira como prefeito, a organização criminosa iniciava-se no topo da cadeia de comando do Poder Executivo Municipal e ramificava-se, passando pelas secretarias, diretores e demais ocupantes de cargos comissionados, além de agentes externos representados por empresários de vários setores.

 

O modo de operação consistia na manipulação das principais ações da prefeitura para desviar recursos públicos e obter vantagens indevidas por meio de contratos firmados ilicitamente com a prefeitura, além da exigência de vantagens de empresários, cujas empresas já prestavam serviços ao ente público ou possuíam interesse para tanto.

 

Ações penais - Foram ajuizadas, em um primeiro momento, duas ações penais: uma contra Reni Pereira (5001254-21.2017.404.7002), em razão deste possuir à época foro privilegiado, e outra em face dos demais envolvidos (5005325-03.2016.404.7002). Desta ação penal, resultou o desmembramento em várias outras:

• 5005325-03.2016.404.7002 – organização criminosa

• 5012170-17.2017.404.7002 – Secretaria de Obras

• 5012172-84.2017.404.7002 – Secretaria da Fazenda e Crimes Correlatos

• 5012176-24.2017.404.7002 – Secretaria de Saúde

• 5012186-68.2017.404.7002 – Secretaria de Tecnologia e Informação.

• 5012190-08.2017.404.7002 – Secretaria de Governo e Apoio Político

• 5012192-75.2017.404.7002 – Secretaria de Esportes

• 5012195-30.2017.404.7002 – Fundação Cultural.

Existem outras duas ações penais que são desmembramentos da Operação Pecúlio, as quais o ex-prefeito é denunciado (ambas em fase de alegações finais pela defesa e, na sequência, serão julgadas pelo Juízo):

Autos 5000507-71.2017.404.7002 - referente à Operação Nipoti

Autos 5015353-25.2019.404.7002 - fatos desmembrados da 5001254-21.2017.404.7002, que se referem aos seguintes crimes:

- de corrupção envolvendo a Secretaria da Fazenda;

- previstos na Lei de Licitação envolvendo a Secretaria de Tecnologia de Informação e Outras

- de corrupção e crimes previstos na Lei de Licitação envolvendo a Secretaria Especial do Governo e Apoio Político na Câmara de Vereadores

- de corrupção e crimes previstos na Lei de Licitação envolvendo a Secretaria de Educação

- de integrar e chefiar Organização Criminosa 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner laranja
Banner Teori
Banner Notre Dame
Banner verão itaipulândia
Banner pedrão 2018
Banner Lei Lucas
Calendário eleitoral
Banner emprego
campanha contra a dengue
Banner o fascismo