Uniguaçu 2020

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Coronavírus: Luciana pede ao governador que não interrompa a compra da alimentação escolar da agricultura familiar
  Data/Hora: 18.mar.2020 - 10h 23 - Categoria: Politica  
 
 
clique para ampliar

Da Assessoria - Foto: Dálie Felberg/Alep. - Pensando no prejuízo aos agricultores familiares e frustração da safra plantada nas lavouras, deputada sugere manter as compras de alimentos e distribuí-los aos asilos, hospitais, penitenciárias e casas de apoio, entre outras instituições contempladas pela ação social do estado.

 

Curitiba-PR (17/03/2020) - Ao decretar o fechamento das escolas em todo o Paraná, a partir da próxima sexta-feira (20), como medida necessária para conter o avanço na proliferação do coronavírus, o adoecimento da população e a sobrecarga do sistema de saúde, o governo do estado decidiu também suspender a compra de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar. Tal medida acarreta em prejuízos aos agricultores que já plantaram e precisam colher os alimentos que seriam vendidos ao programa estadual.

 

Por isso, a deputada estadual Luciana Rafagnin (PT) protocolou na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) nesta terça-feira (17) um requerimento ao governador Ratinho Júnior (PSD) e ao secretário da Educação, Renato Feder, para que sejam mantidas e não suspensas as compras de produtos da agricultura familiar para o programa da alimentação escolar durante a vigência do decreto nº 4230. "As camadas sociais de renda baixa sofrem mais as consequências provocadas pelo coronavírus. Os pequenos empresários, os agricultores familiares, os funcionários terceirizados e os informais, entre outros, têm suas funções e seus ganhos prejudicados pela situação", disse a deputada Luciana.

 

"São necessárias, por parte do poder executivo nas esferas federal, estadual e municipais, medidas que apoiem e busquem garantir a renda de quem mais precisa. Há aproximadamente três semanas o governo estadual iniciou as compras da agricultura familiar para a alimentação escolar pública, os agricultores se prepararam para atender as demandas por produtos, plantaram verduras, frutas, prepararam as matérias-primas para a elaboração de alimentos processados", reforça a deputada.

 

Pensando no prejuízo aos agricultores familiares e frustração da safra plantada nas lavouras, deputada sugere manter as compras de alimentos e distribuí-los aos asilos, hospitais, penitenciárias e casas de apoio, entre outras instituições contempladas pela ação social do estado.

 

Contato: Thea Tavares - Assessoria de Comunicação - (41) 3350-4364 | (41) 99658-7588 | (41) 9 9591-2770. Foto: Dálie Felberg/Alep.

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Einstein
Banner conar
Banner Lei Lucas
Banner laranja
Calendário eleitoral
Banner Notre Dame
Banner emprego
banner vende apartamento II
Banner violência se limite
Banner pedrão 2018