Banner 2021 refis

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
O poder das nações
  Data/Hora: 5.jan.2021 - 21h 8 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por Mario Eugenio Saturno, 

 

Quando se falam do poder das nações, o conceito muda de acordo com os interesses que um povo coletiviza, como o poder bélico, econômico, território e população. É claro que tudo começa pelo econômico e utilizamos o Produto Interno Bruto (PIB) para estabelecer uma lista ordenada e medimos a importância de cada país pela posição que ocupa em relação aos demais.

 

Considerando somente os países, o Banco Mundial listou, com informações de 2019, em primeiro, os Estados Unidos da América com 21,4 trilhões (cada tri é 1 seguido de 12 zeros), China com14,3 tri, Japão com 5 tri, Alemanha com 3,8, Índia com 2,9, Reino Unido com 2,8, França com 2,7, Itália com 2 e o Brasil com 1,8 trilhões, Canadá com 1,7 e Rússia com quase 1,7.

 

Não precisa pensar muito para ver que esses valores brutos não significam muito, é preciso considerar a população que produziu esse PIB, por isso o PIB per capita é tão importante quanto. O mesmo Banco mundial mostra com dados de 2018: Mônaco com 185,7 mil dólares per capita, Liechtenstein com 173,3, seguidos por Luxemburgo, Macau, Suíça, Irlanda, Noruega, Islândia, que são países modestos e sem importância econômica ou militar nenhuma. Os EUA estão na 8ª. posição com US$ 65.281, Canadá, 19ª., RU, 23ª., a Rússia está em 63ª. com US$ 11.585, a China está em 68ª. com US$ 10.262, o Brasil, 77ª. com US$ 8.717.

 

Assim, parece-me mais razoável considerar o poderio econômico pelo PIB e pelo PIB per capita. Dessa forma, vê-se que os EUA continuarão a dominar o mundo em investimentos bélicos, Ciência e Tecnologia, conquista espacial, Vê-se também que a Rússia gasta muito além do que pode em Defesa e Espaço, parece que seus governantes não aprenderam nada com a quebra econômica e política da URSS.

 

Como já mostrei em artigo anterior, em 2020, os Estados unidos gastaram em Defesa 732 bilhões, 3,4% de seu PIB; a China, 261, que representa apenas 1,9%, ou seja, não é este país que pressiona os gastos mundiais, mas aquele. Seguem a Índia, 71,1 e 2,4%; Rússia, 65,1 e 3,9%, Arábia Saudita, França, Alemanha, Reino Unido Japão, Coreia do Sul e Brasil com 26,9 bilhões e 1,5% do PIB.

 

Quanto à população, segundo o worldmeter.info, a China tem 1,44 bilhões (1 bi é 1 seguido de 9 zeros); Índia, 1,39 bi; EUA, 331,99 milhões; Indonésia, 274,99; Paquistão, 223,04 mi; Brasil, 213,32. Seguem Nigéria,             Bangladesh, Rússia, 145,97 mi; México, 129,62 mi e Japão, 126,28 mi. A 19ª. nação é a Alemanha, 84 mi; a 21ª. é o RU, 68 mi.

 

A população grande é importante, pois fornece a mão de obra para o trabalho, os gênios que impulsionarão a economia, produção, as artes, as ciências e o desenvolvimento tecnológico. Porém, uma população muito grande pode ser um grande problema e que atrapalha o crescimento da nação, como é o caso da Índia e da China que tem muitos cidadãos paupérrimos e sem formação básica. Analisando os últimos 50 anos (desde os 8 anos eu observo essas coisas), especialmente as uniões entre as nações europeias, como a ESA e, depois, o Euro, penso que 250 milhões é um tamanho mínimo para predominar na Terra, incluindo o mar e a Antártica, e no Espaço.

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner emprego
Bassani
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
banner vende apartamento II
Banner pedrão 2018
Banner violência se limite
Banner Einstein