campanha dengue itaipulândia abril

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Itaipu comemora 38 anos de operação com foco no futuro
  Data/Hora: 5.mai.2022 - 10h 26 - Categoria: Itaipu Binacional  
 
 
clique para ampliar

Iniciativas como a atualização tecnológica da usina e a gestão de ativos têm como objetivo garantir produção energética de qualidade no longo prazo.

 

Da Assessoria - Foto: Acervo/Itaipu - Nesta quinta-feira (5), a hidrelétrica de Itaipu completa 38 anos de operação. Desde o dia 5 de maio de 1984, quando a primeira unidade geradora começou a produzir, a usina binacional já gerou mais de 2,85 bilhões de megawatts-hora (MWh), energia suficiente para atender ao Brasil por cinco anos ou ao Paraguai por 164 anos.

 

Apesar de a produção ter sido prejudicada pela seca nos últimos três anos, Itaipu segue sendo fundamental para a segurança energética de ambos os países. Em 2021, quando a produção anual atingiu 66 milhões de MWh, respondeu por aproximadamente 8% do suprimento de eletricidade ao mercado brasileiro e 86% do consumo paraguaio.

 

Se por um lado essa baixa afluência afetou a geração de energia, por outro lado teve seu impacto minimizado pelo aprimoramento contínuo dos processos de operação e manutenção da usina, o que permitiu otimizar a produção de modo a aproveitar ao máximo a água disponível. Neste ano, a produtividade média é de 1,1076 MWméd/m³/s, a maior já registrada para esse período na história da usina.

 

Além disso, em um contexto em que o mundo discute como promover a transição energética (a substituição de fontes de energia poluentes por limpas), a Itaipu contribui para que tanto o Brasil como o Paraguai figurem entre os países com matriz elétrica mais sustentável no mundo.

No caso brasileiro, a hidroeletricidade é a principal fonte e respondeu em 2021 por 63% da geração de energia elétrica. E a energia de Itaipu participou com 13% da fonte hidro no País. Dessa forma, a usina brasileiro-paraguaia contribui diretamente com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7 (Energia acessível e limpa), especialmente a meta 7.2, em que o compromisso do Brasil é manter elevada a participação de energias renováveis na matriz nacional.

 

Para o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Anatalicio Risden Junior, a Itaipu é uma referência sob muitos pontos de vista, mas principalmente por se tratar de um projeto bem-sucedido de parceria entre dois países, com reflexos positivos para a qualidade de vida e prosperidade de suas populações. “E para seguir produzindo eletricidade em quantidade e qualidade para atender às demandas do Brasil e do Paraguai, a Itaipu acaba de dar início à atualização tecnológica da usina”, destacou o diretor.

 

Lançada no último dia 29 de abril, no Edifício da Produção, com a presença de diretores e conselheiros, a atualização receberá investimentos de US$ 649 milhões ao longo dos próximos 14 anos. O projeto, o mais complexo e de maior custo desde a construção da usina, prevê a substituição dos sistemas de controle e proteção das 20 unidades geradoras, da subestação isolada a gás, dos serviços auxiliares da usina, das comportas do vertedouro e da barragem, de toda a fiação de força e controle desses dispositivos, além do sistema de medição e faturamento da usina. Equipamentos eletromecânicos, como turbinas e geradores, que têm uma vida longa maior, não serão substituídos.

Esse cuidado com os equipamentos é outro fator presente desde o início da operação da usina e que reflete na produção energética de qualidade. Para isso, os ativos devem possuir alta confiabilidade e disponibilidade. A gestão de ativos teve início já no início da década de 1980, quando foi implantado o Sistema de Operação e Manutenção (SOM). Essa plataforma reúne dados, funções e processos de operação e manutenção que permitem à Itaipu produzir com alta performance e eficiência.

Além disso, o sistema está sempre evoluindo, fruto da proatividade das equipes binacionais e da cultura de melhoria contínua. Um dos indicadores de sucesso está nos índices de disponibilidade das unidades geradoras (superior a 97% em 2021) e de indisponibilidade forçada, ou seja, quando há paradas não previstas (inferior a 0,22% nos últimos 8 anos), que demonstram a maturidade e a solidez da gestão da operação e da manutenção da Itaipu.

Segurança de barragem

Os cuidados com a usina também se refletem nas ações de segurança de barragem. Ao todo, são mais de 3 mil instrumentos de medição e de 5 mil drenos que permitem a verificação imediata do comportamento das estruturas. Neste ano, os técnicos da empresa estão concluindo a Revisão Periódica de Segurança de Barragens, com o objetivo de manter atualizados os controles internos.

Em novembro, ocorrerá a 23ª reunião do Board Internacional de Consultores Civis, que acontece a cada quatro anos e tem o objetivo verificar o desempenho das estruturas civis por meio da avaliação feita por uma junta internacional de consultores com vasta experiência em projeto, execução e monitoramento de barragens. Além da durabilidade das estruturas e da produção de energia no longo prazo, são ações que garantem a segurança das comunidades do entorno, principalmente a jusante da barragem.

Para o diretor técnico executivo de Itaipu, David Rodrigues Krug, “esse resultado é fruto de um trabalho integrado entre as equipes binacionais, com planejamento adequado das ações de modo a disponibilizar os diversos recursos necessários para garantir a eficiência da produção e da gestão dos ativos da usina. Tudo isso contribui para a confiança que as sociedades brasileira e paraguaia depositam na binacional, bem como para o reconhecimento internacional que Itaipu possui nos mais diversos aspectos”, conclui.

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,8 bilhões de MWh. Em 2021, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 8,4% de toda a energia consumida pelo Brasil e 85,5% do Paraguai.

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner emprego
Banner violência se limite
Bassani
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Banner pedrão 2018
Banner Einstein