banner coronavírus março

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
A profissionalização da gestão pública em benefício do interesse coletivo
  Data/Hora: 2.ago.2012 - 18h 6 - Categoria: Geral  
 
 
clique para ampliar

Por José Sebastião Nunes*.

Com a proximidade das eleições municipais de 2012, temas relacionados às principais demandas sociais como segurança, educação e saúde públicas ganham espaço nas pautas de debates e demandas da população brasileira. Apesar de ser um tema pouco abordado, a gestão pública tem uma relevância maior do que se imagina. É inconcebível que prefeitos despreparados indiquem secretários de Administração, por exemplo, que nunca estudaram planejamento, organização, direção e controle. A sociedade acaba pagando pelo amadorismo dos gestores, com a baixa qualidade dos serviços prestados e a elevação indevida de impostos.


É oportuno saber que as universidades catarinenses já colocaram no mercado mais de 155 mil bacharéis em Administração, mas que poucos municípios têm aproveitado, na administração municipal, o conhecimento desses profissionais. Já aqueles municípios que alocam profissionais qualificados nos cargos de gesão têm mostrado resultados extremamente positivos e estão entre as prefeituras melhor avaliadas do Estado.


O Conselho Regional de Administração de Santa Catarina (CRA-SC), ciente de que a sociedade brasileira tem cobrado de seus gestores resultados e respeito, não vê outro caminho a não ser a profissionalização da gestão pública. Parte-se do princípio de que, se a sociedade já é sobrecarregada pela alta carga tributária, ela deveria, no mínimo, ter o retorno de serviços prestados com qualidade e isso poderia ser assegurado pela alocação de profissionais qualificados nos cargos públicos. Entre os obstáculos para a profissionalização da gestão pública, destacam-se  o grande número de cargos comissionados, a terceirização irregular de mão-de-obra, a privatização de atividades administrativas, além da procrastinação na realização de concursos públicos e o detrimento da qualificação dos servidores.


Sabe-se que postos estratégicos na direção e assessoramento superior, que necessitam de conhecimentos técnicos e científicos de Administração, muitas vezes, são entregues a pessoas com qualquer formação e até mesmo sem nenhuma formação. Sendo assim, o CRA-SC defende a profissionalização da gestão pública - que significa a formação acadêmica adequada e o registro no respectivo órgão de classe para assunção a cargo técnico -, tendo em vista a recorrência de atitudes ilegais e anti-éticas de agentes públicos na gestão de recursos municipais e estaduais, por influência de interesses pessoais ou de terceiros.


*José Sebastião Nunes é dministrador, presidente do Conselho Regional de Administração de Santa Catarina – CRA-SC, diretor técnico da Fundação dos Administradores de Santa Catarina – FUNDASC, professor e coordenador de Programas de Pós Graduação, Servidor público, produtor rural, consultor e conferencista, e organizador de eventos nacionais e internacionais.

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Bassani
Banner Einstein
Rose Bueno Acessórios
Banner Mirante
Banner violência se limite
Banner emprego
Banner pedrão 2018