Banner itaipulândia julho

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
São Paulo ainda mais seguro
  Data/Hora: 11.jul.2022 - 7h 1 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por Mario Eugenio Saturno, 

 

No final de junho, foi divulgado o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2.022, mostrando que a violência geral no país em 2.021 diminuiu 6% sobre o ano anterior. O número de Mortes Violentas Intencionais (homicídio doloso, latrocínio, por lesão corporal e por intervenção policial) foi de 47.503 pessoas ou taxa de 22,3 mortes violentas para cada 100 mil habitantes, contra 50.448 e 23,8 de 2.020.

 

A queda foi observada por todo o Brasil, exceto para a Região Norte, em que houve um aumento de 9% nas mortes violentas, com uma taxa de 33,3 e que é o foco da atenção internacional nos últimos tempos. Mas não é a região mais violenta, é a segunda maior taxa, ainda fica atrás do Nordeste que tem uma taxa de 35,5.

 

Porém entre os estados, o Amapá é o que tem a maior taxa, de 53,8, um crescimento de  30,2%. Em seguida, vem a Bahia com taxa de 44,9. Depois, o Amazonas com taxa de 39,1, um crescimento de 46,8%, o maior do país. Em quarto lugar, vem o Ceará com taxa de 37,0 e Roraima com 35,5

 

Entre os menos violentos, aparecem o Rio Grande do Sul com taxa de 15,9, Minas Gerais com 11,4, Distrito Federal com 11,2, e com quase taxa de primeiro mundo, Santa Catarina que tem 10,1. O Estado campeão com taxas melhores que muitas localidades do mundo civilizado é São Paulo com 7,9.

 

São Paulo, em 2011, tinha uma taxa de 12,0, iniciando uma queda consistente a partir de 2014, apresentando as taxas de 13,2, 11,7, 11,0, 10,7, 9,5, 8,9 e 9,0, no ano passado. É claro que há algo acontecendo neste estado, mas não exatamente nos outros, como, por exemplo, o uso do Método Giraldi para treinar a Polícia Militar e, agora, a utilização de câmeras corporais pelos policiais. Isso é essencial para que a população confie na Polícia (que seja Polis, do grego, cidade) e seja aliada no combate à criminalidade.

 

Entre as capitais, a mais violenta é Macapá (AP) com taxa de 63,2 e que teve um aumento de 31,2%, seguida de Salvador (BA) com 53,8, aumento de 55,6%, Manaus (AM) com 35,3 e aumento de 52,5%, Teresina (PI) com 33,8 e 37,0%, e Boa Vista (RR) com 31,7 e 34,8%. É mais do que óbvio que é preciso uma política para segurança pública, mas esperar o que desse governo que gosta de comer picanha de R$ 1.799,99 e passear de moto e Jet-ski?

 

Já entre as melhores, o Distrito Federal que teve taxa de 11,2, mostrou uma queda de 19,4%. Florianópolis (SC) com taxa de 16,1, Belo Horizonte (MG) com 13,6, Cuiabá (MT) com 10,6 e uma queda de 39,4%. A cidade de São Paulo com 7,7 e que teve ainda uma queda de 19,1% sobre 2.020.

 

Já as mortes decorrentes de intervenções policiais no Brasil subiram consistentemente de 2013 a 2020, saltando de 2.212 mortes para 6.412 e, em 2.021, apresentou leve queda para 6.145. Merece destaque a experiência do Estado de São Paulo que após atingir níveis recordes de letalidade policial em abril de 2020, a Polícia Militar adotou novas tecnologias como tasers e câmeras corporais que mostrou no terceiro e quarto trimestres

de 2021 uma queda de 63,6% e 77,4% na letalidade, ao passo que nos demais batalhões houve crescimento de 9,1% e 10,9%. Sem deixar dúvidas.

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

 

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner emprego
Banner pedrão 2018
Banner violência se limite
Banner Mirante
Bassani
Rose Bueno Acessórios
Banner Einstein