Banner itaipulândia julho

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Dessalines ou Mandela, o que queremos para nossa nação?
  Data/Hora: 25.jul.2022 - 12h 30 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por Mario Eugenio Saturno, 

 

Enquanto discutimos quem foi o maior corrupto da Pátria, Bolsonaro ou Lula, 30 milhões morrem lentamente de fome e outros 80 milhões estão privados de alimentos que são exportados, coisas da internacionalização da economia, mal conduzida desde Dilma até Bolsonaro. Diante desta situação antagônica, de contradição e não do animal anta, precisamos responder a esta pergunta: que Pátria deixaremos para nossas crianças?

 

Os tolos destros e sinistros querem demonstrar que Lula é o mais corrupto por causa de dois imóveis, pelo mensalão e o petrolão da Dilma e Bolsonaro, pela rachadinha, que é peculato, pelos 14 imóveis e, agora, pelos computadores, vacinas e MEC. Em verdade, em verdade, maldito o homem que confia no homem! Eita Jeremias (17,5), este sim era um profeta sábio, entendeu que o roubo (e demais pecados) afasta o homem de Deus.

 

Temos que pensar no futuro. E é mais importante o que o eleitor escolhe para discutir, por exemplo, o aborto, se Lula fosse implantar o aborto geral, ele já teve 14 anos para fazer e Bolsonaro também teve 4 anos para acabar com o aborto que existe, ou seja, não cabe a presidente colocar ou tirar o aborto. Aliás, quem consagrou o aborto no Brasil foram os militares durante a ditadura.

 

Mas não custa lembrar que temos dois excelentes candidatos viáveis e que não pesam denúncias de corrupção, nem desvio de caráter, ao contrário, sempre demonstraram amor ao Brasil e excelentes serviços prestados à Pátria: Simone Tebet e Ciro Gomes.

 

Mas 82% dos brasileiros (47% do Lula, 28% do Bolsonaro, 7% ninguém, do DataFolha) querem polarizar para destruir o Brasil. Mas, como sou um neo-idoso ainda otimista, quero convencer essa esmagadora turba a pensar e entrar em acordo para salvar nossa Pátria de nós mesmos. De imediato, é preciso acabar com a ideia de golpe de estado. É vergonhoso, o Brasil apresentar-se ao mundo como uma republiqueta de bananas em que qualquer inepto ressentido possa tomar o poder por um golpe militar. Já defendi que para evitar uma guerra civil é preciso que os militares e autoridades manifestem seu respeito à Constituição! Sem interpretações tortas.

 

Assim, é preciso ser prático, ter um pragmatismo para colocar a nação nos eixos. Você pode ser como Dessaline do Haiti ou o Mandela da África do Sul. O Haiti era uma nação riquíssima, o primeiro país do mundo a abolir a escravidão, poderia ser uma potência econômica, mas Jean-Jacques Dessaline ordenou o extermínio da minoria branca e mulata (administradores e professores) que ainda permanecia no país, matando de 3.000 a 5.000 pessoas em 1804. Já Nelson Mandela resolveu perdoar o mal que recebeu e preferiu construir uma Nação e tornou seu país o S do BRICS.

 

Lula parece preferir ser Mandela, ao escolher Alckmin como seu vice. Mas seus lulistas, como os bolsonaristas, continuam a agir pelo conflito, pelo fomento do ódio, pelo desrespeito ao direito do eleitor, por vontade livre, escolher. Será que conseguiremos cumprir a profecia de ser a terceira potência econômica do mundo ou faremos nosso país tão miserável, o Haiti é aqui (Gil e Caetano)?

 

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner Mirante
Banner emprego
Bassani
Banner pedrão 2018
Rose Bueno Acessórios
Banner violência se limite
Banner Einstein