Banner eleitoral

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Cultura
João Maria
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Governo Federal, Itaipu e UFPR lançam Observatório Nacional de Direitos Humanos
  Data/Hora: 11.out.2023 - 8h 1 - Categoria: Itaipu Binacional  
 
 
clique para ampliar

Assinatura de formalização do acordo foi nesta segunda-feira (9), durante cerimônia na reitoria da universidade, em Curitiba

 

Da Assessoria O ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), Silvio Almeida, o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Enio Verri, e o reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Ricardo Marcelo Fonseca, lançaram nesta segunda-feira (9), em Curitiba, o Observatório Nacional de Direitos Humanos (ObservaDH). A cerimônia de lançamento lotou o Teatro da Reitoria da UFPR.

 

Durante o evento, foi assinado também um acordo de cooperação entre a UFPR e o MDHC. As parcerias têm como objetivo formular o intercâmbio de conhecimentos, informações e experiências na produção de indicadores e evidências em direitos humanos e de soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento do ObservaDH.

 

A plataforma será desenvolvida com a ajuda do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), mantido pela binacional. Já a cooperação técnico-científica também servirá para o aprimoramento de políticas públicas de direitos humanos e a realização de ações na área de educação e cultura.

 

Para o ministro Silvio Almeida, as perspectivas que se abrem a partir desse evento são enormes. “Trata-se não só da assinatura de alguns documentos, mas da abertura de novos caminhos. Eu quero agradecer imensamente ao PTI por garantir o recurso para a parceria."

 

O ministro explicou que a construção do observatório só pode ser feita com a participação da comunidade, da sociedade e de movimentos sociais. O observatório vai funcionar coma uma rede para identificar, avaliar informações e criar indicadores para planejar as políticas públicas de direitos humanos no Brasil.  A UFPR passa a ser a primeira instituição dessa rede.

 

Novo papel de Itaipu

Enio Verri ressaltou que esse é um momento muito importante para a empresa binacional. “O papel de Itaipu volta a ser recuperado. Somos referência em produção de energia, mas, por nossas características, podemos fazer muito mais pela população.”

 

Ele lembrou que, em 2005, a missão de Itaipu foi alterada por iniciativa do ex-diretor-geral brasileiro Jorge Samek e da então diretora financeira executiva, Gleisi Hoffmann.

 

“A empresa passou a ter preocupação com as políticas públicas social e ambiental. O que estamos fazendo, desde março, é cumprir exatamente isso, seguindo as orientações do governo Lula”, afirmou.

 

Segundo o diretor-geral brasileiro, “o comprometimento dessa atual gestão e do governo federal é com aqueles que precisam de inclusão e com a melhoria da vida dessa população para termos um país mais justo”.

 

Verri destacou ainda que a ciência é fundamental para que isso ocorra. “Precisamos ter dados sistematizados para apoiar esse trabalho de promoção de uma democracia justa e um país igualitário. Essa é a política que queremos e que está acontecendo no nosso país.”

 

Para a diretora administradora financeira da Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI), Clerione Herther, a parceria é muito importante. “O PTI é um ecossistema vivo, que pulsa empreendedorismo e inovação. Trazemos um amplo portfólio de competência, por meio de equipes multifacetárias, para ajudar nesse projeto.”  E finalizou: “A ferramenta deve auxiliar gestores públicos, organizações da sociedade civil e apoiar o trabalho de jornalistas, pesquisadores e estudantes”.

 

Acordo da UFPR e MDHC

O reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, disse que "o convênio vai se desdobrar em uma série de ações que já vêm sendo feitas e em outras novas na área de direitos humanos, que é a casa natural de uma universidade pública brasileira”.

 

Ele lembrou que, no passado, as universidades foram muitos atacadas, mas vislumbra a partir de agora um novo cenário. “Estamos entusiasmados com esse novo horizonte de desafios. Podemos, inclusive, adotar políticas de acessibilidade, o que antes era impensável”, afirmou.

 

Presenças

Além das autoridades citadas, estiveram presentes a vice-reitora da UFPR, Graciela Inês Bolzón de Muniz, a secretária-executiva do MDHC, Rita Cristina de Oliveira, as assistentes do diretor-geral brasileiro Silvana Vitorassi e Gisele Ricobom, além da assessora de Responsabilidade Social, Fiorinda Pezzatto. O evento reuniu autoridades políticas, acadêmicos, servidores públicos e vários representantes do governo do Estado.

 

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,9 bilhões de MWh. Em 2022, foi responsável por 8,6% do suprimento de eletricidade do Brasil e 86,3% do Paraguai. A empresa tem como missão “Gerar energia elétrica de qualidade com responsabilidade social e ambiental, contribuindo com o desenvolvimento sustentável no Brasil e no Paraguai.”

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Rose Bueno Acessórios
Banner pedrão 2018
Banner violência se limite
Banner Mirante
Bassani
Banner Einstein
Banner Exposição
Banner emprego