banner itaipulândia junho

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Cultura
João Maria
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
A primeira engenheira mulher e negra do Brasil
  Data/Hora: 20.abr.2024 - 8h 43 - Colunista: Cultura  
 
 
clique para ampliar

Por JB Comunicações - Estação História – (o conhecimento ninguém pode tirar de você), via redes sociais


Enedina Marques, a primeira engenheira mulher e negra do Brasil
Apesar dos preconceitos de uma sociedade pós-abolição, Enedina se impunha e se fez uma profissional respeitada em um mercado dominado por homens brancos.

Pertencente a duas minorias marginalizadas da população brasileira, ela foi a primeira mulher a se formar em engenharia no estado do Paraná e a primeira engenheira negra do Brasil. Filha de um casal de negros provenientes do êxodo rural após a abolição da escravatura, em 1888, a família chegou em Curitiba em busca de melhores condições de vida.

Durante sua infância, Enedina ajudava sua mãe nas tarefas domésticas na casa do militar e intelectual republicano Domingos Nascimento em troca de instrução educacional. Alfabetizada aos 12, ingressou no Instituto de Educação do Paraná em 1926, sempre trabalhando como doméstica e babá em casas da elite curitibana para custear seus estudos.

Disciplinada e inteligente, enfrentou todos os obstáculos que uma sociedade no início do século XX apresentava (e ainda apresenta) a uma mulher negra e pobre.
Nessa época, era destinado às mulheres, principalmente, o papel de dona de casa. Já no mercado de trabalho, as opções eram limitadas ao cargo de professora ou empregada de fábrica, sempre com salários menores do que os recebidos pelos homens no mesmo papel – soa familiar?

Apesar de todas as adversidades e sabotagens sofridas formou-se em Engenharia Civil em 1945 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), entrando para a história como a primeira mulher a se formar em engenharia no Paraná e a primeira engenheira negra do Brasil.



Fonte : https://www.facebook.com/confessoquevivioficial

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Banner emprego
Banner Einstein
Bassani
Banner pedrão 2018
Banner violência se limite
Banner Mirante
Rose Bueno Acessórios
Banner Exposição