Banner novembro azul

 
 
   Categorias
  ATLETISMO
  Banco do Brasil
  Brasil
  Cartas do Leitor
  Educação
  Ego Famosos
  ENTREVISTAS
  Esporte
  Eventos
  Falando Sério
  Familias
  Foz do Iguaçu
  Geral
  Itaipu Binacional
  Lindeiros
  Moda
  Mundo
  Oeste
  Opinião do Leitor
  Policiais
  Politica
  Santa Terezinha de Itaipu
  São Miguel do Iguaçu
  SICOOB
  SINSMI
  Sociais
  Virtudes e valores
 
     
   Colunistas
Bruno Peron
Cultura
Inácio Dantas
João Maria
Miss Paraná
 
   
 
   Previsão
 
 

 
 
 
Envie por email
 
Uma breve reflexão sobre Educação em homenagem ao 15 de Outubro, Dia do Professor.
  Data/Hora: 16.out.2012 - 8h 20 - Colunista: João Maria  
 
 
clique para ampliar

Ontem, dia 15 de outubro, Dia do Professor, por várias vezes sentei em frente ao computador com o intuito de escrever uma mensagem parabenizando a classe. Mas, não teve jeito..., por mais que me esforçasse, a impressão era de que alguma coisa havia se rompido momentaneamente entre a mente consciente e o banco de memória, o inconsciente (o espírito).

 

E quando isso acontece... , quando a inspiração não flui com naturalidade, é porque algo de errado está acontecendo. Não é que você desaprende instantaneamente de escrever. Saíram sim, vários textos, mas nada que em minha opinião expressasse o que eu interiormente sentia que deveria escrever. A alternativa então, foi mergulhar fundo na leitura – se ler é plantar e escrever é colher, então vamos semear...

 

E passei várias horas revirando dezenas de apostilas se conectando aos pensamentos de vários mestres da Educação e foi com grata surpresa que no final da tarde, tive a leve impressão de que o fio condutor havia se restabelecido. Uma sensação gostosa... É como se o próprio corpo recebesse uma dose extra de energia... Sai para andar, fazer o meu cooper diário ao redor da Praça e a sensação é que estava quase levitando..., livre, leve e solto.  

 

Traduzindo: quando o pensamento está em sintonia com essa energia que brota do interior do nosso próprio ser, sentimo-nos muito mais leve..., e não importa a idade, o corpo se rejuvenesce e mesmo diante de toda e qualquer dificuldade, você cresce. É simplesmente fantástico. Talvez, seja por isso que eu não canso de repetir aos meus filhos e aos meus amigos mais próximos: se eu estiver com a razão, eu não recuo..., usando como arma, é claro, o verbo consciente e consistente.

 

E o que tem tudo isso a ver com o Dia do Professor? Eu diria que tudo e muito mais... Platão, por exemplo, que nasceu em Atenas na Grécia, por volta de 427 a.C e morreu por volta de 347 a.C, e foi quem concebeu a humanidade o primeiro plano geral de educação e disciplina para a juventude de seu tempo (e dado ao mesmo uma dimensão ética e política), por outras palavras, ele já falava de algo bastante semelhante.

 

Para ele, “o objetivo final da educação era a formação do homem moral, vivendo em uma cidade virtuosa”. Esse termo: “vivendo em uma cidade virtuosa”, é simplesmente fantástico... “A educação deve proporcionar ao corpo e à alma toda a perfeição e a beleza que podem ter”, dizia ele. Lindo, simplesmente lindo!  “Ao longo dos anos, os antigos encontraram uma boa receita para a educação: ginástica para o corpo e música par a alma”, ensina. Genial!

 

O genial Sócrates, que também viveu em Atenas na Grécia na mesma época (469 a. C a 499 a. C), muito embora não tenha apresentado um plano especial para o setor educacional, nos deixou um legado de virtude e amor que merece ser visto e revisto por todos, em especial os nossos professores, entre os quais essa magnífica pérola: “Conhece-te a ti mesmo”, que em todas as escolas deveria ser tema de redação, anualmente, como forma de conhecer como anda a evolução da classe.

 

Entre essa e outras, ensinava: “O princípio dos raciocínios é constituído pela essência das coisas do mundo; É sábio o homem que pôs em si tudo que leva à felicidade ou dela se aproxima”. Ao se fazer uma releitura desses grandes mestres, é interessante observar que todos comungavam quase que na mesma linha de raciocínio.

 

Para Aristóteles, natural de Estagíra na Macedônia que também viveu nesta mesma época, “a educação visa à virtude, ou excelência moral, que corresponderia à idéia de uma razão relativa às questões de conduta”. Essa frase sua, por exemplo, “onde quer que se descuide da educação, o estado sofre um golpe nocivo”, deveria estar presente 24 horas por dia na mente de todos os governantes do mundo. (continua amanhã com a II parte)

 

João Maria Teixeira da Silva

 
 

 

 

 
 
Deixe seu comentário!
 
 
 
Bassani
Banner pedrão 2018
Banner Mirante
Rose Bueno Acessórios
Banner violência se limite
Banner Einstein
Banner emprego